×

O belo e barroco 75.º aniversário da Brioni

Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
today 9 de jan de 2020
Tempo de leitura
access_time 3 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

A Brioni comemorou os seus três quartos de século em Florença na terça-feira, com uma homenagem barroca à Dolce Vita, com meia dúzia de músicos clássicos vestidos com a mais recente coleção. O que acabou por ser uma forma maravilhosamente melancólica de celebrar o 75.º aniversário de uma marca em dificuldades e mostrar a sua coleção outono-inverno 2020.


Brioni - outono-inverno 2020 - Florence

 
Dois violoncelistas dinamarqueses enfrentaram-se na maravilhosa sala de jantar da Sala Gialla, de um tema rococó de Tchaikovsky a uma soberba sonata de Joseph Bodin de Boismortier. À esquerda, Andreas Brantelid, num casaco Virgilio formal curto, com gola xale feita em lã Barathea e calças de lã de seda. À direita, Ingemar Brantelid tocou com um gosto paternal, vestido com um soberbo casaco de noite trespassado em seda em tons de caramelo. Cada um impecável e extremamente orgulhoso.
 
Os convidados passeavam por uma série de grandes salas dentro do imenso Palazzo Gerini, datado do século XVI, sob os frescos renascentistas. O palácio ainda pertence à família Gerini, cujo antepassado, o marquês Carlo Gerini, secretário do cardeal Carlo de Medici, o adquiriu em 1650.


Brioni - outono-inverno 2020


A abertura contou com um quarteto de sopros que interpretou obras de Lorenzo de Firenze, e um deles estava vestido de um casaco de trespasse em lã cinzenta perfeitamente cortado a um magnífico blazer de camurça emparelhado com uma camisa de gola alta de caxemira.
 
Para a noite, o grego Alexandros Kapelis tocou composições sedosas de Debussy num enorme piano Steinway, com o pianista vestido com um elegante fraque. E, seguindo a grande tradição da Brioni de usar seda opulenta, um trio de violinistas estava diabolicamente elegante em casacos de lapela ou casacos Virgilio em jacquards ousados feitos em seda de teares venezianos seculares.

Ainda que o ponto central fosse a Sala Bianca, não era a mesma Sala Branca onde todo o sistema da moda italiano começou em 1951, com o primeiro desfile para a imprensa e compradores organizado por Giovanni Battista Giorgini no Palazzo Pitti. Com um conjunto barroco a tocar Handel ou Henry Purcell em fato trespassado Virgilio, cortados com ombros mais largos e feitos com suaves riscas de giz ou sedas escuras românticas.


Brioni - outono-inverno 2020


Um jantar para 120 pessoas, cozinhado pelo chef italiano do momento, detentor de oito estrelas Michelin, Enrico Bartolini, de ravioli de frutos do mar a mini bifes Fiorentina, acrescentou exclusividade ao ambiente. Tudo isto criou um momento elegíaco para abrir o Pitti, a feira de moda mais importante do mundo, que decorre até sexta-feira em Florença.
 
Na última meia década, a Brioni teve quatro diretores criativos diferentes e quatro CEOs diferentes. Portanto, o contraste entre este momento encantador e a recente história complicada da marca não poderia ter sido maior.
 
Talvez, finalmente, sob a liderança do novo CEO Mehdi Benabadji e do designer Norbert Stumpfl, a Brioni possa finalmente desfrutar de um renascimento. Este parece ser um bom começo.

Copyright © 2020 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.