×
1 021
Fashion Jobs
GRUPO BOTICARIO
Analista de Inteligência de CRM Iii
Efetivo · São José dos Pinhais
GRUPO BOTICARIO
Analista de CRM ii - o Boticário
Efetivo · São José dos Pinhais
GRUPO BOTICARIO
Analista de CRM Iii
Efetivo · São José dos Pinhais
GRUPO BOTICARIO
Especialista ii - Insights e CRM
Efetivo · São José dos Pinhais
GRUPO BOTICARIO
Analista de CRM ii – Venda Direta (Afirmativa Para Talentos Diversos)
Efetivo · São Paulo
GRUPO BOTICARIO
Analista fp&a i - Gestão de Verbas Comerciais
Efetivo · São José dos Pinhais
RENNER
Product Owner (po) - Omnichannel
Efetivo · São Paulo
FARFETCH
Product Manager (Ecommerce Experience) - Farfetch Platform Solutions
Efetivo · SÃO PAULO
MARISOL
Analista de CRM - São Paulo
Efetivo · São Paulo
GRUPO BOTICARIO
Gerente sr Comercial Lojas Boti (Nordeste)
Efetivo · Brasília
RENNER
Content & Performance Manager
Efetivo · São Paulo
VIVARA
Analista de Compliance Senior
Efetivo · São Paulo
MARISOL
Analista de CRM
Efetivo · Jaraguá do Sul
RENNER
Product Owner (po) | Marketplace – Onboarding de Sellers
Efetivo · São Paulo
RENNER
Product Owner (po) | Marketplace - Atendimento e Pós-Vendas
Efetivo · São Paulo
RENNER
Coordenador de CRM
Efetivo · São Paulo
GRUPO BOTICARIO
Pessoa Consultora de Vendas - Recreio Shopping - Rio de Janeiro
Efetivo · Rio de Janeiro
GRUPO BOTICARIO
Pessoa Consultora Responsável - o Boticário (Barra Shopping)
Efetivo · Rio de Janeiro
YOUCOM
Consultor de Vendas Sênior (Criciuma) | Youcom
Efetivo · Criciúma
GRUPO BOTICARIO
Pessoa Promotora de Venda Direta
Efetivo · Aracaju
MARISOL
Revisor (a)
Efetivo · Jaraguá do Sul
MARISOL
Expedidor i - Expedição
Efetivo · Jaraguá do Sul
Por
AFP
Publicado em
29 de set. de 2016
Tempo de leitura
2 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Nike: bons resultados trimestrais, mas pedidos mais fracos

Por
AFP
Publicado em
29 de set. de 2016

A fabricante americana de artigos desportivos publicou resultados superiores às expectativas para seu primeiro trimestre de 2017, encerrado nos fins de agosto, mas mencionou ter tido um crescimento das suas encomendas mais fraco que o adiantado.

Nike


Durante três meses findos a 31 de agosto, as vendas obtiveram um aumento interanual de 7,7%, ascendendo a 9.06 bilhões de dólares (29.20 bilhões de reais), com um lucro líquido de 1.25 bilhão (+6%%), 4.03 bilhões de reais.
 
Este desempenho se traduz em um lucro ajustado por ação, referência na América do Norte, de 73 centavos, contra 56, aguardados em média pelos analistas.

Puxada por sólidas vendas na América do Norte, na China e na Europa, a Nike também ultrapassou as projeções de vendas dos analistas (8.870 milhões de dólares) a despeito das taxas de câmbio desfavoráveis e da interrupção de venda de artigos de golfe.
 
O primeiro trimestre cobria os Jogos Olímpicos de verão no Rio, no Brasil, evento que pôde estimular as vendas.
 
Os pedidos de calçados e de vestuários para entrega daqui para janeiro chegam a 12.300 milhões de dólares (39.64 bilhões de reais), exibindo aumento de somente 7% com taxas de câmbio constantes, em relação ao mesmo período do ano anterior. Os analistas esperavam um aumento de 8,3%, graças em especial às tradicionais compras de festas de fim de ano.
 
Este indicador dá a ideia do estado da demanda pelos produtos Nike. A marca da Vírgula sofre com a concorrência da Under Armour e Adidas, que ganham parcelas de mercado nos Estados Unidos e na China.
 
A primeira conseguiu um avanço deslumbrante nos calçados de desporto graças à popularidade de Stephen Curry, novo rosto da liga americana de basquetebol (NBA). A Adidas surfa, por sua vez, no sucesso dos ténis Stan Smith, que o relançaram no sportswear, às vezes, chamado de "athleisure".

Copyright © AFP. Todos os direitos reservados. A Reedição ou a retransmissão dos conteúdos desta página está expressamente proibida sem a aprovação escrita da AFP.