×
Por
Reuters
Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
9 de mar. de 2020
Tempo de leitura
2 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Natura reporta lucro mais baixo no quarto trimestre, pelos custos de aquisição da Avon

Por
Reuters
Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
9 de mar. de 2020

O grupo brasileiro de cosmética Natura reportou, quinta-feira, um lucro de 14,3 milhões de reais (2.736.260 euros) no quarto trimestre, abaixo dos 381,7 milhões de reais (73.037.100 euros) do ano anterior, justificando-o com despesas relacionadas com a aquisição da Avon Products.


Natura desce lucro por causa da aquisição da Avon - Avon


Os resultados ainda não incluem a receita da Avon, pois o negócio só foi fechado no início do ano, criando a quarta maior empresa de beleza do mundo.
 
Roberto Marques, o novo CEO do grupo combinado, adiantou que os lucros da Natura permanecerão sob pressão no início de 2020 devido aos custos associados com a transação.

"No primeiro trimestre (os custos) ainda serão significativos e depois praticamente desaparecerão", disse Roberto Marques numa entrevista dada à Reuters na passada quinta-feira.
 
O CEO adiantou estar mais preocupado com tendências que podem afectar a empresa em maiores proporções, principalmente a pandemia do novo coronavírus, um real brasileiro fraco e o potencial de desaceleração da maior economia da América Latina.
 
"Haverá um impacto nos nossos negócios", disse Roberto Marques.
 
A aquisição da Avon proporciona uma "cobertura natural" para a Natura no futuro. Enquanto o real representava 70% da receita da empresa no passado, agora caiu para 30%, defende o CEO. A Avon trouxe receita em moedas fortes, como a libra esterlina e o euro, com alguma exposição adicional ao peso mexicano.
 
Mas Roberto Marques observou que continuam pouco expostos à Ásia em geral, que tem sido a mais atingida pelo surto de COVID-19.
 
Sobre o crescimento económico, prevê que a empresa crescerá mais rapidamente do que o PIB do Brasil, num momento em que muitos bancos têm baixas expectativas para 2020.
 
O contexto global negativo, no entanto, não afectou a economia de custos esperada pela Natura. Roberto Marques prevê, para os próximos três anos, devido à aquisição da Avon, uma economia anual de custos entre US$200 milhões (924.980.000 reais ou 177.187.000 euros) e US$300 milhões (1.387.470.000 reais ou 265.781.000 euros).

 

© Thomson Reuters 2022 Todos os direitos reservados.