×
Publicado em
1 de jul. de 2022
Tempo de leitura
4 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Natura, Grupo Boticário e Avon estão entre as empresas mais responsáveis em ESG do Brasil

Publicado em
1 de jul. de 2022

Natura, Grupo Boticário e Avon foram reconhecidas pelo Ranking Merco Responsabilidade ESG entre as empresas mais responsáveis do Brasil em 2021. Natura manteve a primeira colocação pelo oitavo ano consecutivo. O Grupo Boticário ficou em segundo, enquanto a Avon ficou, pela primeira vez, entre as cinco melhores do levantamento, em 5º lugar, subindo duas posições em relação a 2020. 


Natura atua para fortalecer comunidades da Amazônia - Reprodução site da Natura



Realizado pela Merco, que produz levantamentos sobre reputação de empresas, o Ranking Responsabilidade ESG busca fazer uma avaliação global a partir de 14 fontes de informação, segundo a empresa. Nesta edição, foram feitas 2.311 entrevistas.

Natura, Grupo Boticário e Avon também ocupam as cinco primeiras posições, mas não necessariamente na mesma ordem, nas listas das mais responsáveis com o Meio Ambiente (o “E” de ESG), com o "público interno, clientes e sociedade" (o “S”), e "em nível ético e de governança" (o “G”).

“Esse reconhecimento é uma honra e uma alegria para nós. A Natura tem uma trajetória de pioneirismo na implementação de um modelo de negócios que transcende a geração de lucro e que busca promover maior valor compartilhado para todos os atores envolvidos em sua cadeia de valor. Acreditamos que as empresas podem e devem ser agentes de transformação social. Por isso, por meio de nossas práticas, marcas e portfólio, seguiremos engajando a sociedade e o mercado em prol de um mundo mais sustentável e próspero para todos”, afirma Agenor Leão, vice-presidente de Negócios da Natura Brasil.
 
“Estamos muito orgulhosos com a evolução da reputação e responsabilidade da Avon nos últimos anos, uma companhia que há mais de um século busca contribuir com o empoderamento feminino por meio do empreendedorismo e da democratização da beleza. O mundo vem vivenciando tempos desafiadores e, para nós, é muito satisfatório mostrar que é possível gerar impactos positivos por meio dos negócios, visando uma sociedade cada vez mais inclusiva e respeitosa”, completa Daniel Silveira, presidente da Avon Brasil.
 
O ranking é elaborado pelo Merco (Monitor Empresarial de Reputação Corporativa), que realiza a análise reputacional de companhias com base em uma metodologia pública e diversos públicos avaliadores, tais como diretores de empresas, acadêmicos, ONGs, representantes do governo, consumidores, entre outros. A avaliação também segue as normas e códigos da ESOMAR, organização associativa para pesquisadores do mercado. Além disso, trata-se do primeiro monitor auditado do mundo graças à verificação independente realizada pela KPMG, empresa prestadora de serviços de auditoria e consultoria.

Presente na Amazônia há mais de 20 anos, a Natura desenvolveu um modelo de negócios inovador que busca a valorização da economia da floresta em pé a partir da união entre ciência, natureza e conhecimento tradicional, estabelecendo assim um círculo virtuoso baseado na sociobiodiversidade brasileira e no desenvolvimento socioeconômico da sua rede de parceiros, consultoras e colaboradores.
 
Com esse modelo, desde 2011, a Natura já movimentou R$ 2,55 bilhões de reais em volume de negócios na região. Atualmente, mantém relacionamento com 85 cadeias da sociobiodiversidade e desenvolveu 41 bioingredientes, gerando renda para mais de 8 mil famílias de comunidades extrativistas e contribuindo para a conservação de 2 milhões de hectares de floresta na Amazônia.
 
Em 2020, Natura &Co, grupo do qual faz parte ao lado de Avon, The Body Shop e Aesop, firmou a Visão 2030, chamada de Compromisso com a Vida. Trata-se de um plano abrangente com metas ambiciosas para enfrentar algumas das questões globais mais urgentes, como as mudanças climáticas, a violação dos direitos humanos e o desmatamento na Amazônia. Entre as metas, está ampliar a área de conservação para 3 milhões de hectares até 2030, além de contribuir para zerar o desmatamento até 2025 via mobilização de públicos.
 
Recentemente, a Natura apresentou o primeiro Integrated Profit & Loss (IP&L), metodologia de valoração que integra ganhos e perdas para medir e reportar os efeitos socioambientais da operação. A ferramenta permite contabilizar, além dos resultados financeiros, o impacto da atuação empresarial nas dimensões ambiental, social e humana. O IP&L mostra que, em 2021, toda a operação da marca Natura gerou R$ 1.5 em benefícios para a sociedade para cada R$ 1 de receita. Na Amazônia, o retorno em valor social para cada R$1 aportado na região é de R$ 8,6.
 
Desde que entrou no grupo Natura &Co, em 2020, a Avon vive uma intensa jornada de transformação, evidenciando seu lado mais ativista, inovador e digital por meio da campanha de reposicionamento, que celebra a autoestima e conquistas de grupos minoritários, o empreendedorismo feminino, a desconstrução de padrões de beleza e a diversidade e inclusão como parte do seu DNA.
 
 

Copyright © 2022 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.