×
Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
14 de jul de 2020
Tempo de leitura
3 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Mulberry deve descontinuar seu prêt-à-porter

Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
14 de jul de 2020

No mês passado, a Mulberry anunciou planos para cortar um quarto de seu quadro global de funcionários. Agora, a marca britânica, historicamente especializada em bolsas de luxo, fez um novo anúncio: está prestes a fechar seus escritórios em Paris e Hong Kong. Além disso, de acordo com nossas informações, ela deve descontinuar, a partir da primavera-verão de 2021, suas coleções de sapatos e prêt-à-porter, produzidas sob licença pelo Onward Luxury Group.


Look criado por Johnny Coca para o inverno 2020-21. - Mulberry.com


A marca quer se concentrar novamente em Londres e em seus artigos de couro, seu principal negócio. Ela também continuará com sua oferta de joias e manterá sua linha de óculos licenciada, A categoria bolsas e pequenos artigos de couro representa quase 70% de suas vendas totais.

As condições econômicas e o Brexit penalizaram a grife que, diante da pandemia de coronavírus, se viu em sérias dificuldades. Em 11 de junho, a Mulberry emitiu um aviso de lucro e anunciou que teria que ajustar sua “gestão de operações e custos operacionais e para adaptar seu tamanho e estrutura às condições atuais do mercado".

O destino de sua coleção de prêt-à-porter já parecia ter sido traçado em março, quando foi anunciada a saída do diretor criativo Johnny Coca. Sua última coleção para o outono-inverno 2020/21 está em processo de comercialização. O designer ingressou na Mulberry em julho de 2015 para apoiar o reposicionamento da marca no segmento de luxo acessível de qualidade e internacionalmente.

De acordo com a revista Drapers, a Mulberry também estaria prestes a fechar um de seus centros de produção ingleses localizados na região de Somerset, onde quase metade de suas bolsas e artigos de couro são produzidos. A fábrica "The Rookery", localizada em Chilcompton, onde a empresa foi fundada em 1971, não muito longe de Bath, também deve deve ser fechada.

Apenas cerca de 50 dos 180 funcionários do local seriam mantidos e reintegrados na outra fábrica, "The Willow", localizada em Bridgewater, uma cidade industrial no condado de Somerset, segundo a Drapers.

A estratégia traçada há alguns anos pelo diretor administrativo Thierry Andretta consistiu em ampliar a oferta, transformando a Mulberry em uma marca de lifestyle, para desenvolver seu universo e gerar tráfego. Mas a crise e Covid-19 prejudicaram suas ambições.

Seu faturamento semestral, encerrado em novembro, totalizou 68,9 milhões de libras (80,4 milhões de euros), permanecendo estável em comparação com o mesmo período do ano anterior, enquanto o lucro bruto diminuiu ligeiramente de 42 para 41 milhões de libras (47,8 milhões de euros), com prejuízo antes de impostos de 9,9 milhões de libras (11,6 milhões de euros).

Em fevereiro, o investidor britânico Mike Ashley comprou uma participação de 12,5% na Mulberry por meio de sua rede de lojas de departamentos House of Fraser, que distribui a marca há muitos anos.

Copyright © 2021 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.