×
Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
28 de jul. de 2022
Tempo de leitura
3 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Moncler registra bons resultados graças à força da sua marca e da Stone Island

Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
28 de jul. de 2022

A gigante do outerwear de luxo, Moncler, anunciou um aumento de 46% nas vendas no primeiro semestre de 2022, apesar da desaceleração na China e impulsionada pelo crescimento nos Estados Unidos e na Europa.


Moncler


Em termos declarados, a receita aumentou 48% no primeiro semestre, alcançando 918,4 milhões de euros, bem acima dos 894 milhões de euros previstos pelos analistas. As comparações com o semestre de 2021 são um pouco complicadas pelo fato de em 2022 incluírem a marca Moncler e a Stone Island, enquanto em 2021 a marca Stone Island só foi incluída a partir do segundo trimestre.
 
Mas, considerando essa ressalva, os números continuam impressionantes, embora a empresa tenha dito que a sua margem bruta consolidada caiu ligeiramente devido a uma maior contribuição do canal atacadista após a integração da Stone Island. O lucro baseado no EBIT foi de 180,2 milhões de euros, contra 92,89 milhões de euros no primeiro semestre de 2021. O lucro líquido foi de 211,3 milhões de euros, comparado com 58,7 milhões de euros há um ano. Outro valor impressionante, embora inclua um benefício fiscal de mais de 92 milhões de euros relacionado com o reajuste do valor fiscal da marca Stone Island.

Olhando para marcas individuais, a receita da Moncler aumentou 27% numa base neutra para 724,3 milhões de euros, e 28% em comparação com os níveis anteriores à pandemia. Também continuou o seu crescimento de dois dígitos no segundo trimestre, apesar da marca ser mais conhecida pelos seus produtos de inverno.

O crescimento no segundo trimestre acelerou em relação aos níveis pré-pandemia em todos os mercados, exceto na Ásia-Pacífico. A região da APAC foi afetada pelos confinamentos e encerramentos de lojas na China, mas, apesar disso, é visível que a marca continua popular na região e a receita continuou a crescer nos principais mercados do Japão e da Coreia do Sul.
 
Por sua vez, a receita da Stone Island aumentou 33,1% pro forma para 194,1 milhões de euros, impulsionada pelo "sólido crescimento" em todas as regiões. A sua receita superou a registrada antes da pandemia, mas o vírus teve impacto na marca e a Ásia-Pacífico viu-se afetada no segundo trimestre devido a esses encerramentos.

O presidente e CEO Remo Ruffini afirmou: "Embora o primeiro semestre do ano tenha sido marcado por uma forte instabilidade macroeconômica e geopolítica, superamos as nossas previsões. Também registramos boas margens operacionais e sólidos indicadores econômicos e financeiros, impulsionados pela contribuição de ambas as marcas.”
 
“Embora o contexto geral permaneça incerto e volátil, encaramos com confiança a parte mais importante do ano, apoiados pela nossa estratégia e pela flexibilidade operacional que sempre nos distinguiu, juntamente com uma solidez financeira e uma visão clara orientada para o contínuo fortalecimento das marcas.”

”Este ano, celebramos dois aniversários importantes: os 70 anos da Moncler e os 40 anos da Stone Island. Nos próximos meses, vamos celebrar a nossa história com uma série de iniciativas dedicadas e vários projetos para os próximos anos, mantendo sempre a consciência de que não há futuro sem passado, e que o passado por si só não é suficiente para assegurar um futuro brilhante."

Copyright © 2022 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.