×
Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
5 de abr. de 2022
Tempo de leitura
3 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Metaverso: The Sandbox associa-se à Arianee para criar experiência de marcas híbridas

Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
5 de abr. de 2022

O universo virtual The Sandbox, que tem atraído marcas como Gucci e Adidas, anuncia uma parceria com a Arianee, especialista de soluções blockchain para marcas. O objetivo é que o cliente de um produto adquirido no mundo real possa receber da marca o seu equivalente virtual em forma de NFT.


Interface Arianee para solicitar o NFT para um produto real no The Sandbox - Arianee


Arianee é um consórcio de cerca de 40 membros, incluindo a Paris Fashion Week, o grupo Richemont, e marcas como a Mugler, Breitling, Ba&sh, Iwc e IBM. No centro da sua oferta está no blockchain que permite às marcas criar e seguir um cartão de identidade para cada produto sob a forma de um NFT. Um símbolo que pode ser utilizado como certificado de autenticidade, e que será transferido pelo seu proprietário quando este vender o produto correspondente.
 
Este movimento faz do The Sandbox o primeiro player do Metaverso a juntar-se a este consórcio. O objetivo é que uma pessoa que comprE um NFT (como um artigo de vestuário ou acessório) no mundo real também possa equipar o seu avatar personalizado no mundo virtual. A finalidade é empurrar a lógica da experiência de compra omnichannel para o mundo virtual. Além disso, as marcas poderiam organizar eventos reservados aos seus clientes no The Sandbox. Este "multiverso" já atraiu marcas como Adidas Originals, Gucci, Carrefour, Warner Music Group, Ubisoft e Atari.

"O avatar é o primeiro elemento que permite à maioria dos usuários entrar e interagir no Metaverso", explica Sebastien Borget, diretor geral de The Sandbox. "Possuir a própria identidade, expressar o próprio estilo ao ser importante no Metaverso: usar a marca favorita, fazer evoluir o próprio avatar virtual, serão alguns dos pontos fortes que farão a nossa experiência especial". Para o CEO da Arianee, Pierre-Nicolas Hurstel, esta aproximação permitirá aos visitantes "viajar sem problemas entre o mundo físico, digital e imersivo". Para o gestor, "em breve veremos o surgimento de novas experiências de utilização".


Um dos espaços a visitar no The Sandbox - MG/FNW


Esta aproximação tem lugar contra o pano de fundo do aumento simultâneo do poder de vários Metaversos, estes universos virtuais que os usuários da Internet podem explorar através dos seus avatares, através de uma tela ou capacete virtual. Mundos virtuais com uma superfície limitada onde qualquer pessoa (desde indivíduos a marcas), pode comprar um terreno para instalar um edifício ou um jogo com o seu próprio desenho. Uma situação que está atualmente a dar origem a uma corrida imobiliária em Metaversos como o Roblox, Cryptovoxels, The Sandbox, ou Decentraland, que há alguns dias organizou a sua primeira Metavers Fashion Week. Este evento levantou a questão da acessibilidade destes universos para um público mais vasto, e da clientela potencial em que a moda virtual deve basear-se.

Face a outros protocolos tais como GoodsID ou Aura (grupo LVMH), a Arianee não esperou pela emergência de um líder em Metaversos. Por enquanto, operam em silos: NFTs para vestuário virtual que vestem um avatar num Metaverso não funcionarão em  outro, cuja qualidade gráfica também será diferente. Este problema técnico está levando as marcas a investir cautelosamente na "web3". Ao facilitar o jogo de correspondência entre produtos reais e virtuais, o consórcio francês poderia acelerar a prática e dar um avanço ao The Sandbox.
 

Copyright © 2022 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.