×
Publicado em
24 de out de 2017
Tempo de leitura
2 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Mercado Livre sofre perdas com a entrada da Amazon no Brasil

Publicado em
24 de out de 2017

Depois do Brasil, a Amazon está visando a Argentina, território do Mercado Livre. A empresa norte-americana foi lançada oficialmente no Brasil em 18 de outubro, o melhor mercado para a plataforma argentina. Na sexta-feira (20),  um porta-voz da Amazon confirmou ao jornal La Nación que a empresa vai abrir uma unidade de gestão de dados na nuvem via Amazon Web Services (AWS) com 100 funcionários em Buenos Aires.


Mercado Livre perdeu 100 milhões de dólares com a entrada da Amazon no Brasil - Caracol Radio


A notícia foi adiantada por Noah Mamet, um ex-embaixador dos Estados Unidos na Argentina, que informou ao jornal que a Amazon havia assinado um acordo para abrir um escritório com 100 funcionários em Buenos Aires no final deste ano, com a possibilidade de expansão para o próximo ano.

Atualmente, o Mercado Livre é líder na Argentina. Desde a sua criação em 1999, a plataforma manteve um crescimento sustentável em seu país de origem e foi bem recebida pelos consumidores locais. No entanto, as perspectivas para a empresa argentina podem se desequilibrar com a confirmação da entrada do gigante de comércio eletrônico americano na Argentina.

Pouco depois do anúncio da entrada da Amazon no mercado brasileiro em 12 de outubro, o impacto econômico na plataforma argentina não tardou a aparecer. No mesmo dia, o Mercado Livre sofreu queda de 10,2% em Wall Street. Segundo a Forbes Argentina, as perdas do Mercado Livre atingiram aproximadamente 100 milhões de dólares sobre a patrimônio pessoal de seu líder e fundador, Marcos Galperín, uma fortuna que no início do dia era de 1.210 bilhões de dólares.

No entanto, é importante lembrar que o Mercado Livre concorre com a Amazon em outro dos seus mercados operacionais mais importantes, o México. Antecipando a entrada iminente de seu possível concorrente no Brasil, o vice-presidente do Mercado Livre, Sean Summers, disse à Forbes que a concorrência com a Amazon no México tem sido uma vantagem para a empresa. "Nós estamos competindo há um ano e meio. Isso ajuda a ter um competidor formidável. Ajuda a abrir e alinhar o mercado, não dá para dormir", disse Summers em dezembro de 2016.

Ambas as empresas aumentaram suas vendas no segundo trimestre de 2017. Em seu relatório de resultados, a Amazon registrou um acumulado de 38 bilhões de dólares em vendas, um aumento de 25% em relação ao mesmo período do ano anterior. Por outro lado, o Mercado Livre atingiu 58,5%, com receitas de 316,5 milhões de dólares em vendas.

Quanto à presença internacional, enquanto a empresa americana opera diretamente em 11 países em todo o mundo, o Mercado Livre lidera o comércio eletrônico na América Latina com operações em 16 países da região.

Copyright © 2021 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

Tags :
Outros
Negócios