×
1 088
Fashion Jobs
GRUPO BOTICARIO
Analista de CRM ii – Venda Direta (Afirmativa Para Talentos Diversos)
Efetivo · São Paulo
GRUPO BOTICARIO
Analista fp&a i - Gestão de Verbas Comerciais
Efetivo · São José dos Pinhais
GRUPO BOTICARIO
Pessoa Coordenador(a) de Compras de Eventos
Efetivo · São José dos Pinhais
RENNER
Product Owner (po) - Omnichannel
Efetivo · São Paulo
FARFETCH
Product Manager (Ecommerce Experience) - Farfetch Platform Solutions
Efetivo · SÃO PAULO
GRUPO BOTICARIO
Especialista ii Treinamento Comercial Venda Direta - Franschising
Efetivo · São Paulo
GRUPO BOTICARIO
Pessoa Compradora de Projetos Júnior - Híbrida - PR
Efetivo · São José dos Pinhais
MARISOL
Analista de CRM - São Paulo
Efetivo · São Paulo
GRUPO BOTICARIO
Gerente sr Comercial Lojas Boti (Nordeste)
Efetivo · Brasília
RENNER
Content & Performance Manager
Efetivo · São Paulo
VIVARA
Analista de Compliance Senior
Efetivo · São Paulo
MARISOL
Analista de CRM
Efetivo · Jaraguá do Sul
RENNER
Product Owner (po) | Marketplace – Onboarding de Sellers
Efetivo · São Paulo
RENNER
Product Owner (po) | Marketplace - Atendimento e Pós-Vendas
Efetivo · São Paulo
RENNER
Coordenador de CRM
Efetivo · São Paulo
GRUPO BOTICARIO
Consultor(a) de Vendas - o Boticário (Boulevard Shopping)
Efetivo · Brasília
GRUPO BOTICARIO
Supervisor(a) de Atendimento (Afirmativa Para Talentos Diversos)
Efetivo · Curitiba
GRUPO BOTICARIO
Supervisor(a) de Atendimento (Afirmativa Para Talentos Diversos)
Efetivo · Curitiba
GRUPO LUNELLI
Inspetor(a) de Qualidade - Externo
Efetivo · Guaramirim
VIVARA
Vendedora –Shopping Cidade São Paulo – São Paulo/ sp
Efetivo · São Paulo
MARISOL
Analista de Sistemas - E-Commerce
Efetivo · Jaraguá do Sul
CAEDU
Operador de Loja
Efetivo · Campinas
Por
AFP
Publicado em
14 de out. de 2022
Tempo de leitura
2 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Mercado de relógios de segunda mão ​​pode atingir 36 bilhões de euros em 2030, segundo Deloitte

Por
AFP
Publicado em
14 de out. de 2022

O mercado de relógios de segunda mão, em expansão graças aos millennials e à geração Z, pode valer 35 bilhões de francos suíços (36 bilhões de euros) até 2030, de acordo com um estudo da Deloitte publicado na quinta-feira, 13 de outubro.


Mercado de relógios de segunda mão ​​pode atingir 36 bilhões de euros em 2030, segundo Deloitte - Unsplash


Atualmente avaliado em cerca de 20 bilhões de francos suíços (20,5 bilhões de euros), esse setor pode responder por mais da metade do novo mercado de relógios até 2030, de acordo com o estudo de perspectivas da indústria relojoeira suíça.

"O potencial de crescimento do mercado de segunda mão é enorme", diz Karine Szegedi, responsável pela divisão de consumo, moda e luxo da Deloitte Suíça, citada em comunicado.

Os principais motivos para comprar relógios usados ​​são os preços mais baixos do que os novos, mas também o desejo de encontrar modelos que não são mais fabricados. Listas de espera mais longas para marcas como Rolex ou Patek Philippe também estão direcionando os consumidores para modelos mais antigos.

Este mercado, historicamente reservado a colecionadores e casas de leilão, é agora de grande interesse para uma nova geração de consumidores, graças ao surgimento de plataformas online de relógios certificados.

Entre os millennials (pessoas nascidas entre 1980 e o final dos anos 1990), 48% dos amantes de relógios dizem que provavelmente comprarão um modelo de segunda mão nos próximos doze meses.

Entre a geração Z (nascida entre 1997 e 2012), a proporção é de 37%, ante 12% da geração dos "baby-boomers", segundo o estudo da empresa de auditoria e consultoria, que realizou uma pesquisa online com 5.579 pessoas na Suíça e em dez dos principais países exportadores da indústria relojoeira do país.

"Nossos consumidores são muito diferentes daqueles que são erroneamente considerados compradores de relógios tradicionais", diz Ben Clymer, fundador da plataforma de vendas Hodinkee, citado no estudo.

"Eles são muito mais jovens, compram e vendem relógios com muito mais frequência, estão interessados ​​em relógios de segunda mão ​​e procuram ativos que retenham ou aumentem seu valor", acrescenta.

Os próprios fabricantes de relógios de luxo veem com bons olhos esta evolução. 70% dos executivos da indústria de relógios entrevistados ​​acreditam que relógios usados ​​têm um impacto positivo em sua notoriedade.

De acordo com o estudo, o crescimento será impulsionado pelas marcas, seja unindo forças com plataformas de vendas de modelos certificados estabelecidas ou lançando seus próprios canais de vendas para captar uma fatia desse mercado de segunda mão.

Em 2018, a Richemont, gigante do luxo que detém os relógios das marcas Cartier e Piaget, IWC e Jaeger-LeCoultre, entrou neste mercado ao adquirir a plataforma britânica watchfinder.co.uk.

Copyright © AFP. Todos os direitos reservados. A Reedição ou a retransmissão dos conteúdos desta página está expressamente proibida sem a aprovação escrita da AFP.