×
Por
EFE
Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
15 de jun. de 2020
Tempo de leitura
2 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Matthew Williams é o novo diretor artístico da Givenchy

Por
EFE
Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
15 de jun. de 2020

A histórica empresa de alta-costura francesa, Givenchy, anunciou na segunda-feira (15) a nomeação do americano Matthew Williams como seu novo diretor criativo. O designer é ex-colaborador do rapper Kanye West e da cantora Lady Gaga e promete mudar de rumo da marca.


Matthew Williams - DR


Após a saída da inglesa Clare Waight Keller, que recuperou o lado mais elegante da empresa e vestiu Meghan Markle em seu casamento com o príncipe Henry, a marca do grupo LVMH opta por um designer de escola urbana.

"Estou extremamente honrado em me juntar à Givenchy. A posição única e a aura eterna da empresa a tornam um ícone inegável e estou ansioso para trabalhar com sua equipe e oficina para avançar para uma nova era baseada na modernidade e inclusão", disse Williams em uma nota divulgada no Instagram.

Williams, um californiano de 34 anos, fundou sua marca própria, Alyx, em 2015 e é o terceiro designer da Givenchy em três anos, que está determinada em seguir o exemplo de outras marcas do grupo, como Fenty, com Rihanna, ou Louis Vuitton, com Virgil Abloh, outro membro do círculo de West conhecido por sua popularidade nas redes sociais.

"Sou grato ao grupo LVMH por confiar em mim e em me dar a oportunidade de realizar o sonho da minha vida. Nestes tempos sem precedentes, quero enviar uma mensagem de esperança aos meus colegas. Espero contribuir para uma mudança positiva", acrescentou o designer.

Williams foi diretor criativo da Lady Gaga, diretor artístico da marca de Kanye West, e fundador, ao lado de Virgil Abloh e do designer Heron Preston da Been Trill, uma marca efêmera de estilo urbano.

A proximidade de Williams com o círculo de West e também com o estilista Kim Jones, à frente do design masculino da Dior, que também faz parte da LVMH, mostra a aposta da gigante francesa do luxo em aproximar-se mais dos impulsos da rua e cultura popular do que a criação dos ateliês.

© EFE 2022. Está expressamente proibida a redistribuição e a retransmissão do todo ou parte dos conteúdos dos serviços Efe, sem prévio e expresso consentimento da Agência EFE S.A.