×
Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
16 de nov. de 2021
Tempo de leitura
5 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Martin Margiela no Lafayette Anticipations: vida depois da moda

Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
16 de nov. de 2021

O escritor e poeta norte-americano, F. Scott Fitzgerald, fez a observação frequentemente citada de que não há "nenhum segundo ato na vida pública americana", o que é também tomado como um aviso aos estilistas de moda para não embarcarem numa perigosa tentativa de se reinventarem em uma segunda carreira.


'Scrolling Image', 2021. Aço, neon, vidro, e impressão em papel. Cortesia do artista e Galeria Zeno X, Antuérpia. Produzido por Lafayette Anticipations - Foto: Pierre Antoine - Photo: Pierre Antoine


Esta é certamente uma máxima ignorada por um dos designers mais iconoclastas da moda, Martin Margiela, cuja última criatividade pós-moda é exposta em uma intrigante exposição no Lafayette Anticipations, um romântico centro de arte experimental no bairro Marais de Paris, criado pela famosa cadeia de lojas de departamentos do mesmo nome.
 
O caminho do designer ao artista é muitas vezes perigoso. Basta perguntar a Helmut Lang, que foi o designer mais influente do mundo no final dos anos 90, ganhando infinitas críticas extasiantes pelas suas coleções. O que rapidamente se transformou em brutais put-downs quando este desistiu da roupa e tentou tornar-se um bom artista a partir de 2005.

Martin Margiela, no entanto, parece que pode estar escapando a um opprobrium semelhante. Em parte, porque o estilista belga foi tanto um artista conceitual como um estilista na sua carreira de duas décadas na moda. Mas também porque as suas obsessões centrais nesta mostra são as que o prenderam enquanto desenhava moda: o culto da celebridade; o anonimato; o consumismo descartável; o homoerotismo e a vindicação do segredo. O último é muito vital para Margiela. Até hoje, Margiela nunca posou para uma fotografia de retrato, e poucas pessoas – mesmo muitos jornalistas de moda que assistem a várias coleções de Margiela – sabem como Margiela se parece.


'Vanitas', 2019. Silicone e cabelo tingido naturalmente. Cortesia do artista e Galeria Zeno X, Antuérpia. Produzido por Lafayette Anticipations - Foto: Pierre Antoine - Photo: Pierre Antoine

 
"Uma coisa que deixei clara a Martin quando falou em tornar-se um artista depois da moda foi que eu sempre (e já) o considerava um artista enquanto ainda criava moda", explicou Rebecca Lamarche-Vadel, diretora do Lafayette Anticipations.
 
No entanto, em vez de uma retrospectiva, temos uma série de obras de arte experimental muitas delas realmente feitas na cave do Lafayette Anticipations, que tem um impressionante atelier de design de última geração onde o uber discreto designer-artista labutaria. Toda a arte em exposição estava de fato pronta há quase dois anos, embora a mostra tenha sido arrastada até este outono devido à pandemia.
 
"Martin trabalhar aqui é o objetivo do Lafayette Anticipations, uma vez que queríamos um espaço onde os artistas contemporâneos tivessem carta branca para criar o que quisessem, e ao seu próprio ritmo", explicou Guillaume Houzé, herdeiro da família proprietária das Galerias Lafayette, e o criativo por detrás do espaço. Um antigo armazém e mais tarde escola, o edifício foi completamente reconstruído no interior pelo arquiteto holandês Rem Koolhaas (também autor da Casa da Música do Porto), que introduziu dois andares centrais gigantescos, os quais podem ser levantados em roldanas eletrônicas para alterar o espaço de arte em literalmente dezenas de configurações.


'Red Nails', 2019. Laca sobre fibra de vidro. Cortesia do artista e Galeria Zeno X, Antuérpia. Produzido por Lafayette Anticipations -Foto: Pierre Antoine - Photo: Pierre Antoine


Mantendo-se perto das suas raízes, Margiela de 64 anos – cujo irmão é cabeleireiro – mostrou múltiplas imagens de cabelo através desta exposição artística, que foi ampliada a uma série de 20 salas divididas em dois andares. Começando com Hair Portraits, compostos por cinco grandes pilhas de notícias e revistas de celebridades; cada uma delas encimada por cinco capas brilhantes que representavam estrelas como Monica Vitti ou Catherine Deneuve, embora todas com os seus rostos completamente cobertos pelo seu próprio cabelo.
 
Enquanto outra instalação, Vanitas, é um retrato abstrato de uma mulher detalhada nas cinco fases de cabelo da sua vida. As cinco cabeças perucas, feitas de silicone e de cabelo humano real, estão encerradas dentro de uma caixa de vidro.
 
"Isto faz muito parte da tradição artística flamenga. Como retratar a morte, o fim da vida ou o Memento Mori? A solução de Martin – as cinco etapas da vida desde a juventude; a preparação para o seu primeiro filho; os primeiros cabelos grisalhos; o tingimento do cabelo e depois a velhice prateada", observou Lamarche-Vadel em uma visita guiada à mostra. Tal como a pintura holandesa do século 18, centrada na representação de objetos que simbolizam o vazio da existência.


'Monument', 2021. Impressão de lona de PVC, sofá vintage, e laço áudio. Cortesia do artista. Produzido por Lafayette Anticipations -Foto: Pierre Antoine - Photo: Pierre Antoine


Como designer, Martin Margiela era conhecido por fazer o lugar-comum do inesperado – como os seus notórios espartilhos feitos de couro branco reciclado. Como artista, Margiela faz algo semelhante, construindo aquele ubíquo objeto urbano, o abrigo de autocarro, a partir de Plexiglass sujo e pêlo falso, o melhor é (re)imaginar este lugar de refúgio do sol ou do trenó. Enquanto o caminho de entrada para o espaço é composto por uma foto gigante de um desodorante em stick, cuja composição escrita é uma lista das matérias-primas desta exposição artística.
 
Da mesma forma, Margiela como designer estava obcecado com formas humanas e animais. O seu calçado mais famoso foi uma bota de dedo e biqueira redonda. Como artista, brinca com ideias clássicas da anatomia, mas depois apresenta apenas pedaços do tronco humano, em silicone ou gesso, desconstruindo ideias antigas sobre divindades e heroísmo em partes quase mutantes do corpo. Outra sala apresenta unhas falsas vermelhas gigantes em porcelana de Nymphenburg.
 
Em outras palavras: Martin Margiela talvez não seja um novo Damien Hirst ou Anselm Kiefer, mas certamente escapará aos tijolos que arrastaram para a arquitetura o querido Helmut Lang.
 
Martin Margiela no Lafayette Anticipations pode ser visto até ao dia 2 de janeiro de 2022.
 

Copyright © 2021 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.