×

Macy's e Bloomingdale's vão parar de vender peles

Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
today 23 de out de 2019
Tempo de leitura
access_time 2 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

A Macy's Inc. anunciou que deixará de vender peles até o final do ano fiscal de 2020, uma política que se estenderá a todas as marcas privadas da Macy's e Bloomingdale's, e também a itens vendidos de parceiros de marca.


Macy's


Além disso, artigos em pele não serão mais vendidos nas lojas off-price da Macy's Inc., incluindo Backstage, da Macy’s, e The Outlet, da Bloomingdale's, informou a empresa em comunicado. Como parte do compromisso, a Macy's também fechará suas lojas de peles "Fur Vaults”.

"Nos últimos dois anos, acompanhamos de perto as tendências de consumidores e marcas, ouvimos nossos clientes e pesquisamos alternativas para as peles", disse Jeff Gennette, presidente e CEO da Macy's Inc. "Ouvimos nossos colegas, incluindo feedback direto do nosso Go Green Employee Resource Group, e nos reunimos regularmente sobre esse assunto com a Humane Society of the United States e outras ONGs. As marcas privadas da Macy's já estão livres de peles, portanto, expandir essa prática em toda a Macy's, Inc. é o próximo passo natural. Estamos orgulhosos de fazer essa parceria com a Humane Society of the United States em nosso compromisso de encerrar a venda de peles. Continuamos comprometidos em fornecer excelente moda e valor aos nossos clientes, e continuaremos oferecendo alternativas de alta qualidade e moda de peles artificiais”.

O plano no-fur marca o fim de uma era para a Macy's, cuja história como uma loja de departamentos da era dourada costumava ser definida por sua variedade de casacos de peles. A decisão também é uma prova da mudança que a indústria vem enfrentando, com uma velocidade cada vez mais alta para deixar de usar peles. Marcas como Prada e 3.1 Phillip Lim, bem como empresas como Farfetch, anunciaram que deixariam de usar peles este ano. As empresas, no entanto, demoraram para aderir à proibição de peles, em comparação com nomes do setor como Stella McCartney, Michael Kors e Asos.

Mais recentemente, as políticas no-fur expandiram para cidades, estados e países inteiros. Na semana passada, a Califórnia se tornou o primeiro estado dos Estados Unidos a proibir a venda de peles e, em junho, a Irlanda se tornou o 15º país europeu a proibir a criação de peles.

"Aplaudimos a decisão da Macy Inc. de encerrar a venda de peles até o final do ano fiscal de 2020", disse Kitty Block, presidente e diretora executiva da Humane Society of the United States. "Este anúncio é consistente com as opiniões de inúmeros consumidores no mercado, e outros varejistas devem seguir o exemplo”.

Copyright © 2020 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.