×
Por
EFE
Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
6 de fev de 2020
Tempo de leitura
2 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Macy's anuncia o fechamento de 125 lojas e a demissão de 2000 funcionários

Por
EFE
Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
6 de fev de 2020

A rede americana de lojas de departamento, Macy’s, anunciou que fechará 125 de suas lojas nos próximos três anos e demitirá 2.000 funcionários em seu setor corporativo, que visa melhorar a produtividade e aumentar os lucros do negócio. A empresa também informou que fechará sua sede em Cincinnati e seus escritórios de tecnologia em São Francisco, e planeja iniciar uma saída dos shopping centers menos bem-sucedidos para abrir lojas de rua menores. Desde 2015, a Macy's já fechou mais de 100 lojas.


Desde 2015, a Macy's já fechou mais de 100 lojas. - Reuters


A companhia disse que estima que, com menos lojas, suas vendas líquidas atinjam entre 23,2 e 23,9 bilhões de dólares no ano fiscal de 2022, enquanto o lucro por ação deve ficar entre 2,50 e 3 dólares.

"Vamos realizar uma mudança estrutural significativa na organização para reduzir custos, unificar equipamentos e reduzir horas extras", declarou em comunicado Jeff Gennette, CEO da Macy’s. "As mudanças que faremos são profundas e impactarão todos os setores de nosso negócio, mas são necessárias. Sei que sairemos dessa transição mais fortes, mais ágeis e em melhor forma para competir no atual ambiente de varejo".

Nos últimos cinco anos, as ações da Macy's perderam mais da metade de seu valor, e seu valor de mercado caiu para 51 bilhões de dólares. Por outro lado, varejistas que focaram em produtos acessíveis e entrega rápida registraram crescimento. O Walmart, por exemplo, registrou aumento de 22% em suas ações no ano passado, enquanto o valor da Amazon ultrapassou 1 trilhão de dólares na terça-feira (4).
 

© EFE 2021. Está expressamente proibida a redistribuição e a retransmissão do todo ou parte dos conteúdos dos serviços Efe, sem prévio e expresso consentimento da Agência EFE S.A.