Luxottica registra recorde de 40% de aumento nas vendas em quatro anos, para 36 bilhões de euros

A diretoria da gigante italiana de óculos, Luxottica, deveria aprovar os resultados preliminares de 2018 em sua reunião de 30 de janeiro, mas, em vez disso, ela preferiu fazer um balanço dos últimos quatro anos, celebrando o desempenho estelar do grupo fundido na gigante EssilorLuxottica, liderado pelo “visionário” fundador Leonardo del Vecchio.


Coleção dedicada à Gianni Versace - EssilorLuxottica

Para entender quão longe a Luxottica chegou, vale lembrar que, quando foi listada pela primeira vez em Wall Street em 1990, o preço de suas ações era inferior à um dólar. Quando a Luxottica deixar da bolsa de valores de Milão em 6 de março, o preço será de mais de 50 euros, "tendo multiplicado seu valor em mais de 50 vezes em quase 30 anos", escreveu o conselho em um comunicado, comparando o resultados do período 2015-2018 com os de 2010-2013.

Nos últimos quatro anos, as vendas totais cresceram 40%, atingindo 36 bilhões de euros; o lucro operacional ajustado cresceu 60% para 5,7 bilhões de euros; o lucro líquido ajustado aumentou 80% para mais de 3,6 bilhões de euros; e a margem líquida ajustada aumentou de 7,5% para mais de 10%. O fluxo de caixa substancial da Luxottica permitiu ao grupo reduzir a dívida em duas vezes o EBITDA em 2010, para 0,2-0,3 vezes o em 2018, garantindo também o pagamento de dividendos generosos (1,8 bilhão de euros entre 2015 e 2018, 80% a mais que o período de 2010-2013).

Para 2018, o grupo prevê uma receita de cerca de 9 bilhões de euros e um lucro líquido de mais de 900 milhões de euros, ligeiramente abaixo dos 970 milhões de euros registrados em 2017.

“Eu alcancei o objetivo de melhorar a empresa em todas as suas partes, tornando-a forte e repleta de idéias, tecnologia e paixão, permitindo ao mesmo tempo que ela aumentasse a margem líquida acima do limite de 10%. Esta é a empresa que trazemos para a EssilorLuxottica, a nova aventura para a qual pretendo dar toda a minha contribuição”, disse Del Vecchio, presidente executivo do recém-formado conglomerado EssilorLuxottica.

No comunicado, Del Vecchio mencionou Luigi Francavilla, ao seu lado "por toda a sua vida profissional", e também fez um "agradecimento especial" ao CEO da Luxottica, Francesco Milleri, que já disse querer ver no comando da EssilorLuxottica. Esta nomeação terá que ser decidida em conjunto com o parceiro francês da Luxottica, através de um processo que levará à nomeação conjunta de um novo CEO até 2020.

Traduzido por Novello Dariella

Copyright © 2019 ANSA. Todos os direitos reservados.

ÓculosNegócios
ASSINE A NOSSA NEWSLETTER