×
976
Fashion Jobs
keyboard_arrow_left
keyboard_arrow_right

Lucro líquido da Grendene caiu 11,4% em 2018

Publicado em
today 15 de fev de 2019
Tempo de leitura
access_time 2 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

A empresa brasileira especializada em calçados, Grendene, proprietária de marcas como Melissa, Grendha e Ipanema, anunciou através do comunicado com seus resultados anuais e referentes ao quarto trimestre  que registrou queda de 11,4% no lucro líquido de 2018, para 585,5 milhões de reais. No quarto trimestre, o lucro liquido ficou praticamente estável em relação ao mesmo período do ano anterior, com 251,3 milhões de reais (+0,3%), e a margem liquida atingiu 33,9%.


Melissa


A companhia destacou que a receita líquida cresceu 3,6% em 2018, para 2.3 bilhões de reais, sendo 5,2% no quarto trimestre de 2018, para 742,4 milhões de reais. O Ebit registrado no período foi -1,9% menor que o de 2017, atingindo 457 milhões de reais. 

O resultado financeiro no quarto trimestre, pela primeira vez no ano superou o resultado obtido no mesmo período do ano anterior, para 57,4 milhões (+23,0%), ante aos 46,7 milhões de reais registrados no mesmo período de 2017, somando 10,7 milhões de reais ao resultado antes dos tributos no quarto trimestre de 2018, ante ao quarto trimestre do ano anterior. Segundo a Grendene, o leve crescimento do resultado financeiro se deve, principalmente, ao aumento das despesas de publicidade no período.

O volume de pares aumentou 1% para 173 milhões no ano, com queda de 9,9% nos pares exportados e aumento de 4,9% no mercado interno. "Apesar do consumo de calçados no Brasil em 2018 não ter crescido, aumentamos nosso volume e tivemos uma queda de 9,9% nos pares exportados quando as exportações brasileiras de pares de calçados caíram 10,8%. Em ambos os mercados ganhamos share”, ressaltou a Grendene.

"Nossas vendas do 4T18 no mercado interno avançaram em 6,5% no volume de pares, o que estimamos seja um crescimento maior do que o crescimento da demanda e, portanto, indica avanço no market share. A boa notícia é que, segundo nossa percepção, a venda de calçados no varejo do mercado interno retornou ao crescimento no 4T18 quando comparado ao 4T17".

Quanto às exportações, a Grendene aumentou a liderança que mantém nas exportações de calçados brasileiros por 16 anos consecutivos, com 35,7% dos calçados brasileiros exportados em 2018.  "No quarto trimestre, o câmbio teve forte impacto positivo, de 35,2 milhões de reais, o que também pode ser observado na elevação da receita unitária em reais por par exportado de 21,8% ante à uma elevação em dólares de apenas 3,7%", ressaltou o grupo. Segundo a Grendene, "a elevação da receita se deve principalmente por efeito mix provocado pela queda nas exportações dos modelos mais básicos especialmente para América Latina”.  

Além das dificuldades de exportações para Argentina, Venezuela e Bolívia, no quarto trimestre, o grupo também destacou que enfrentou queda nas exportações para o Paraguai e a paralisação das exportações para o Equador (retomadas em 2019) por atritos comerciais com o Brasil.

Copyright © 2019 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.