×
1 055
Fashion Jobs
GRUPO BOTICARIO
Especialista ii Treinamento Comercial Venda Direta - Franschising
Efetivo · São Paulo
GRUPO BOTICARIO
Pessoa Compradora de Projetos Júnior - Híbrida - PR
Efetivo · São José dos Pinhais
GRUPO BOTICARIO
Especialista i - Inteligência Comercial
Efetivo · São Paulo
MARISOL
Analista de CRM - São Paulo
Efetivo · São Paulo
GRUPO BOTICARIO
Negociador Suprimentos/ Comprador Pleno - Marketing - Híbrido - sp ou PR
Efetivo · São Paulo
GRUPO BOTICARIO
Gerente sr Comercial Lojas Boti (Nordeste)
Efetivo · Brasília
GRUPO BOTICARIO
Analista de Gestão de Despesas Iii - Vaga Afirmativa Para Mulheres (Cis e Trans)
Efetivo · São Paulo
RENNER
Content & Performance Manager
Efetivo · São Paulo
VIVARA
Analista de Compliance Senior
Efetivo · São Paulo
MARISOL
Analista de CRM
Efetivo · Jaraguá do Sul
VIVARA
Analista de CRM sr
Efetivo · São Paulo
RENNER
Product Owner (po) | Marketplace – Onboarding de Sellers
Efetivo · São Paulo
RENNER
Product Owner (po) | Marketplace - Atendimento e Pós-Vendas
Efetivo · São Paulo
PUMA
Retail District Manager
Efetivo · São Paulo
RENNER
Coordenador de CRM
Efetivo · São Paulo
RENNER
Assistente de Administração de Pessoal - Folha de Pagamento - Csc
Efetivo · Porto Alegre
PUMA
Retail Sales Associate
Efetivo · SÃO PAULO
PUMA
Retail Store Manager
Efetivo · SÃO PAULO
L'OREAL GROUP
Gerente de Compras Sustentáveis - Operações América Latina
Efetivo · Rio de Janeiro
L'OREAL GROUP
Executivo(a) de Contas - l'Oréal Grande Público (Porto Alegre/rs)
Efetivo · Porto Alegre
L'OREAL GROUP
Loa - br - Operações - Analista Customer Care Pleno - Divisão de Grande Público
Efetivo · São Paulo
GRUPO BOTICARIO
Analista Financeiro ii (Cobrança e Contas à Receber) | Vaga Afirmativa Para Talentos Diversos
Efetivo · Curitiba
Por
Reuters
Publicado em
17 de jan. de 2017
Tempo de leitura
3 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Lojas de departamentos parisienses creem em exercício 2017 positivo

Por
Reuters
Publicado em
17 de jan. de 2017

As lojas de departamentos parisienses tiveram um ano negro em 2016, penalizadas pela queda da visitação dos turistas estrangeiros, que, no entanto, voltaram a aparecer em novembro e dezembro, fazendo esperar um exercício 2017 mais positivo.

A Printemps abrirá suas portas no domingo daqui para os fins de março. - printemps.com


Os atentados na França, as greves e o sentimento de insegurança que afugentaram os turistas estrangeiros impactaram pesadamente o comércio de luxo parisiense e a hotelaria. Este último segmento acusou no ano passado que deixou de ganhar 650 milhões de euros e 900 milhões de euros, levando-se em conta números de reformas.
 
Na Printemps Haussmann, a principal da cadeia de lojas de departamentos, as vendas caíram 10% ao longo do ano calendário 2016, declarou, no jornal BFM Business, Pierre Pelarrey, diretor-geral da loja. Este recuo ocorre depois de um exercício – transcorrido – estável entre 1º de abril de 2015 e 31 de março de 2016.

Na Galeries Lafayette vizinha, "o ano foi opaco, com uma importante queda da visitação depois do atentado de Nice", declarou uma porta-voz do grupo.
 
No entanto, as duas concorrentes mencionaram uma retomada da visitação estrangeira em novembro e dezembro, que poderia fazê-las crer em uma melhora para 2017.
 
Na Galeries Lafayette, tanto a visitação como o volume de negócios registraram um aumento de 10% entre meados de novembro e o fim do ano, sobre uma base de comparação particularmente baixa, uma vez que a loja sofre com a queda há um ano depois dos atentados de Paris. Mas as vendas avançam também em relação ao mesmo período de 2014, que constitui uma base de comparação mais reveladora, explica-se na Galeries Lafayette.
 
As compras de turistas estrangeiros, que representam metade das vendas da Galeries Lafayette Haussmann, foram puxadas no fim do ano por um retorno dos clientes japonês, americano, brasileiro e russo.
 
"Os terríveis eventos começam a ficar distantes", explicou a porta-voz do grupo, dizendo esperar uma confirmação desta tendência em 2017.
 
As duas lojas se preparam agora para as liquidações, que se iniciaram a 11 de janeiro por um período de seis semanas, depois de maciças promoções desencadeadas logo depois do Natal, buscando salvar um ano bastante difícil.
 
Em queda contínua desde janeiro de 2014 por causa da crise econômica e da queda do rublo, as compras dos turistas russos se recuperaram nos fins de 2016, pela primeira vez depois de três anos, testemunhando a volta da confiança puxada pela recuperação dos preços do petróleo.
 
Os analistas da Exame BNP Paribas contam com uma aceleração da demanda nos principais mercados do luxo em 2017. O crescimento do setor poderia assim rapidamente ultrapassar os 5% no primeiro semestre, segundo o corretor, que evoca a política de apoio à economia e a maior motivação dos consumidores na China, o programa de queda maciça de impostos de Donald Trump nos Estados Unidos, a recuperação dos gastos na Rússia, ou ainda a alta dos cursos do petróleo, favorável à clientela do Oriente Médio.

© Thomson Reuters 2023 Todos os direitos reservados.