×
Por
Terra
Publicado em
8 de jun. de 2011
Tempo de leitura
2 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Livro investiga a história da moda no Brasil de 1889 a 2010

Por
Terra
Publicado em
8 de jun. de 2011

Após quatro anos e meio de pesquisa e mais que o dobro de páginas previstas, foi lançado nesta terça-feira (7), num coquetel para 800 pessoas, na Casa das Caldeiras, em São Paulo, o livro História da Moda no Brasil: das influências às autorreferências, da Pyxis Editorial e Comunicação, que tem como complemento documentário homônimo.



Livro conta a história da moda no Brasil a partir da República, - em 1889, até o ano 2010 - Foto: Editora Pyxis/Divulgação
Ponto a Ponto Ideias

A obra foi coordenada pelo professor de moda e escritor João Braga e pelo jornalista e escritor Luís André do Prado, e viabilizada por meio da Lei Rouanet, com o patrocínio da Casas Pernambucanas.

O livro de 642 páginas, dividido em sete partes, começa a partir da República, em 1889, e chega ao ano 2010. São elas: Belle Époque (1889-1918), Anos Loucos (1919-1930), Era do Rádio (1931-1945), Anos Dourados (1946-1960), Tropicália & Glamour (1961-1975), Anos Azuis (1976 1990) e Supermercado de Estilos (1991-2010). "Fizemos um recorte para abranger a partir da República. Até a Segunda Guerra, a indústria têxtil brasileira era baseada principalmente na fibra do algodão, propício ao clima brasileiro. Após a guerra, com o parque industrial europeu dizimado, começou a se estabelecer a fabricação industrial também sintética no Brasil. Os anos 50 foram marcantes para o desenvolvimento da moda brasileira", disse Luís André do Prado ao Terra.

Nessa época, a Rhodia começou a fabricar a fibra sintética como o náilon, foi criada a Fenit e os costureiros brasileiros, ainda com inspiração francesa, começaram a trabalhar para as grandes tecelagens. "Muita gente acha que o primeiro estilista de nome no Brasil foi o Dener, mas antes, José Ronaldo fazia os vestidos para a Miss Elegante Bangu, da tecelagem Bangu, com uma festa supersofisticada no Copacabana Palace. Depois, a Matarazzo e a francesa Boussac criaram em São Paulo o Agulhas de Ouro, premiando os costureiros, do qual Dener e Clodovil ganharam várias vezes", disse o jornalista.

Segundo ele, depois de passar por várias fases, como a da cópia, da interpretação, das grifes, dos grupos de moda regionais, a moda brasileira chegou à maturidade, com grandes criadores e uma indústria forte. "Fora isso, temos a moda praia que é respeitada em todo o mundo."

O livro ilustra todas as passagens da moda brasileira desde 1889 com mais de 400 imagens, entre fotos, desenhos e reproduções. Para o resultado final, foram recolhidos 127 depoimentos, pesquisados 223 livros e teses, 220 publicações periódicas (desde o século passado) e consultados 60 sites. O livro custa R$ 120, com direito ao documentário incluído.




Rosângela Espinossi

Copyright © 2022 Terra. Todos os direitos reservados.