×
891
Fashion Jobs
STUDIO Z
Coordenador de Planejamento Comercial
Efetivo - CLT · FLORIANÓPOLIS
GRUPO MEIA SOLA
Gerente de Marketing
Efetivo - CLT · FORTALEZA
GRUPO BOTICARIO
Executivo de Vendas ii (São Paulo)
Efetivo - CLT · São Paulo
LULITEX COM IMP EXP LTDA
Auxiliar Comercial
Efetivo - CLT · SÃO PAULO
GRUPO LUNELLI
Analista de Gestão de Pessoas Pleno - Treinamento e Desenvolvimento
Efetivo - CLT · Guaramirim
GRUPO LUNELLI
Analista de Gestão de Pessoas - Assistente Social
Efetivo - CLT · Guaramirim
GRUPO BOTICARIO
Supervisor(a) de Lojas - Quem Disse, Berenice?
Efetivo - CLT · Belo Horizonte
CAMICADO
Supervisor de Vendas e Operação de Loja - Brasília
Efetivo - CLT · Brasília
RENNER
Encarregado de Logistica E-Commerce
Efetivo - CLT · Rio de Janeiro
GRUPO BOTICARIO
Supervisor(a) de Lojas - o Boticário
Efetivo - CLT · Belo Horizonte
GRUPO BOTICARIO
Product Owner E-Comm
Efetivo - CLT · Curitiba
IBRANDS
Líder de Logística
Efetivo - CLT · SÃO PAULO
GRUPO BOTICARIO
Analista Gestão de Riscos Csc pl
Efetivo - CLT · Curitiba
AVON
Comprador Sênior
Efetivo - CLT · São Paulo
AVON
Comprador Sênior
Efetivo - CLT · São Paulo
RENNER
Supervisor de Vendas| Sobral Shopping - ce
Efetivo - CLT · Sobral
RENNER
Supervisor de Vendas | Rio Verde
Efetivo - CLT · Rio Verde
RENNER
Supervisor de Vendas| Imperial Shopping - Imperatriz ma
Efetivo - CLT · Imperatriz
RENNER
Supervisor de Vendas| Shopping Golden Calhau - São Luís
Efetivo - CLT · São Luís
RENNER
Supervisor de Vendas| São Luís Shopping
Efetivo - CLT · São Luís
RENNER
Supervisor de Vendas| Natal Shopping
Efetivo - CLT · Natal
RENNER
Supervisor de Vendas| Sobral Shopping - ce
Efetivo - CLT · Sobral

Levi Strauss: volume de negócios recorde superior a 5,5 bilhões de dólares em 2018

Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
today 7 de fev de 2019
Tempo de leitura
access_time 3 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

"Um ano excecional": Chip Bergh, presidente e diretor-geral da Levi Strauss, não usou eufemismos para qualificar o ano fiscal do seu grupo, encerrado a 25 de novembro. "Nunca tivemos um crescimento assim nos últimos 25 anos. E isto acontece depois de um crescimento de 8% no ano anterior. "


Levi Strauss : +14 % de volume de negócios - Facebook: Levi's


A gigante do denim, proprietária da Levi's e da Dockers, registou um crescimento de 13,7% (12,7% a taxa de câmbio constante) em relação ao ano fiscal de 2017. E consegue quebrar a barreira dos 5 bilhões de dólares e atingir os 5,575 bilhões de dólares (4,911 bilhões de euros) em volume de negócios, ainda que a dinâmica tenha desacelerado no último trimestre, para 8,6% (+11% a taxa de câmbio constante), com 1,592 bilhões de euros em vendas. Na sua apresentação anual, o líder anuncia nomeadamente vendas em alta 8% para o homem, 28% para a mulher, 8% para as parte de baixo e 37% para os tops.
 
“As nossas estratégias para diversificar a nossa gama de produtos, estender a venda direta ao consumidor e aprofundar o relacionamento com os nossos clientes em todo o mundo têm claramente funcionado, uma vez que nos proporcionaram receitas anuais e margens brutas mais elevadas", declarou Chip Bergh.

No final do ano fiscal de 2018, a empresa tinha mais 74 lojas do que no final do ano fiscal de 2017. Desta forma, as receitas da empresa ligadas às vendas diretas aumentaram 13% no quarto trimestre e 18% ao longo de todo o ano.

As vendas líquidas da empresa ligadas às vendas por atacado também aumentaram 7% no quarto trimestre e 11% ao longo de todo o ano, impulsionadas principalmente pelos bons resultados nas Américas e na Europa.
 
À luz das boas novas, o grupo melhorou as suas margens, beneficiando da estratégia de abertura de lojas e do dinamismo das suas vendas online. A sua margem bruta passou de 52,3% para 53,8%. O seu lucro operacional saltou de 467 milhões para 537 milhões de dólares. Isto enquanto o grupo indica ter aumentado os seus investimentos na venda diretas ao consumidor e em publicidade.

As três principais regiões do grupo registaram crescimento nas vendas ao longo do último exercício. A região mais dinâmica foi a Europa, que subiu 25,4% para 1,646 mil milhões de dólares (+21% a taxa de câmbio constante). No Velho Continente, a Levi's também sentiu uma desaceleração durante o seu último trimestre, com um aumento contido de 12,7% (17,1% numa base comparável). Os tops e peças femininas registaram subidas muito fortes. Acima de tudo, o grupo viu o seu resultado operacional aumentar em 47%, chegando aos 293 milhões de dólares na Europa.

Apesar deste aumento alucinante na Europa, particularmente tendo em conta a dinâmica geral do setor, a zona das Américas continua a ser de longe o principal mercado da Levi Strauss & Co. E, com o seu crescimento de 9,7% (+10% numa base comparável), incluindo +7,9% no último trimestre, a zona atingiu os 3,042 bilhões de dólares em vendas no último ano fiscal. O grupo, além dos resultados da Levi's, destaca o desempenho da sua marca By Signature na região e realça a melhoria no desempenho da sua rede de lojas. O resultado operacional das Américas progrediu 4%.

"Estamos a ganhar participação de mercado porque o crescimento que apresentamos transcende as categorias. Este resultado reflete a força e a diversificação do nossos negócio e a evolução da Levi's para uma marca lifestyle", afirma o diretor-geral. Porque a ambição de Levi’s é essa. Mantendo as suas raízes denim, a marca, cuja entrada em bolsa parece estar a ser seriamente considerada, introduz novas categorias de produtos, que lhe permitem expandir o seu potencial. Resta saber se estes últimos desenvolvimentos produzirão frutos nas suas vendas em 2019.

Copyright © 2019 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.