×
167
Fashion Jobs
Por
Reuters API
Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
10 de jul de 2019
Tempo de leitura
3 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Levi Strauss anuncia crescimento nas vendas mas prevê desaceleração no segundo semestre

Por
Reuters API
Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
10 de jul de 2019

A Levi Strauss & Co informou na terça-feira (9) que seu crescimento nas vendas irá desacelerar no segundo semestre do ano devido, em parte, ao enfraquecimento de seu negócio de atacado. Além disso, seu ano fiscal irá encerrar logo antes da Black Friday. Como resultado, após o anúncio, as ações da empresa americana caíram 6%.


A Levi's registrou crescimento de 6% no primeiro semestre do ano. - Levi Strauss


Para o ano inteiro, a empresa previa um crescimento de 5% a 7% nas vendas, após registrar um aumento de 6% no primeiro semestre do ano. "As novas previsões sugerem que o segundo semestre do ano será menos dinâmico do que o primeiro", declarou Chip Bergh, CEO da Levi’s à Reuters.

A companhia espera uma diminuição de 100 pontos-base na receita, já que ela não poderá incluir os números da Black Friday em seus resultados anuais. A Black Friday é um dos dias de maiores vendas nos Estados Unidos, mas ele acontecerá cinco dias após o encerramento do ano fiscal de Levi’s, em 24 de novembro.

Chip Bergh também informou que o contínuo enfraquecimento no varejo está impactando suas operações de atacado nos Estados Unidos, que experimentaram uma desaceleração de 2%. As vendas no atacado representam um terço das vendas totais da Levi's. "Não mudamos de ideia: as operações de atacado nos Estados Unidos vão passar por um desafio no segundo semestre do ano devido às falências, fechamentos de lojas e à cautela dos clientes com seus gastos com roupas", disse Chip Bergh.

Para combater o enfraquecimento de seu negócio de atacado, a empresa investiu em seu canal de comércio eletrônico e lojas de varejo, ao mesmo tempo em que reforçou sua presença em mercados em expansão, como China, Índia e Brasil. Esses esforços levaram ao aumento das vendas em todos os segmentos no segundo trimestre, com notável crescimento nas segmentos feminino (+16%) e tops (+14%). O festival Coachella também ajudou a impulsionar a demanda por seus shorts, de acordo com a empresa.

As vendas da filial chinesa aumentaram 3%, mas a Levi's disse que a empresa está "longe de seus máximo" e ainda tem "um potencial significativo de crescimento" nesse mercado. As despesas com vendas, gerais e administrativas aumentaram em aproximadamente 7%, para 638 milhões de dólares, principalmente devido às maiores despesas com propaganda e marketing.

O lucro líquido atribuível à empresa caiu para 28,2 milhões de dólares, ante 74,9 milhões de dólares no ano anterior, principalmente devido aos custos relacionados ao seu primeiro IPO, que aconteceu durante o ano fiscal.

Excluindo itens não recorrentes, a empresa ganhou 17 centavos por ação, superando as expectativas dos analistas de 13 centavos, enquanto a receita líquida subiu 5%, para 1,30 bilhão de dólares, superando também as previsões. O preço das ações da empresa caiu 6% para 22,20 dólares, mas aumentou quase 40% desde o IPO da empresa, em março deste ano.

© Thomson Reuters 2021 All rights reserved.