×
Por
AFP-Relaxnews
Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
16 de fev. de 2022
Tempo de leitura
4 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Leite, dente-de-leão, seda de aranha: a natureza está moldando o futuro da moda

Por
AFP-Relaxnews
Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
16 de fev. de 2022

Já se foram os dias das peles de animais, materiais excessivamente poluentes. A indústria da moda lançou uma corrida frenética para adotar fibras verdes e amigas dos animais. Não passa um mês sem que alguém do setor apresente novos materiais com alguns componentes surpreendentes – que vão do leite vencido ao dente-de-leão – e todos estão gradualmente moldando o guarda-roupa do futuro.


AFP


Seja um vestido feito de seda de aranha, uma bolsa feita de cogumelos ou tênis feitos de cana-de-açúcar ou algas marinhas, o guarda-roupa do futuro pode soar mais como um museu de história natural do que um armário cheio de roupas. E, no entanto, é para onde a indústria da moda está se direcionando, à medida que o setor busca por fibras mais ecológicas e amigáveis ​​aos animais – dois critérios com os quais os consumidores estão se preocupando cada vez mais ao adquirir um produto.

E se alguns materiais - às vezes antigos - estão retornando, como linho e cânhamo, por exemplo, outros são vistos como fibras de nova geração, muitas vezes decorrentes de parcerias com startups de biotecnologia que transformam as riquezas da natureza em materiais inovadores e sustentáveis. Confira alguns dos materiais incomuns que provavelmente entrarão em nosso guarda-roupa nos próximos anos:


Seda de aranha, um novo toque aos tecidos sustentáveis



Não tenham medo, amantes dos animais! Isso não envolve colocar nossos amigos de oito patas para trabalhar sete dias por semana para fazer suéteres e outras peças de vestuário. Secretados pelas glândulas de seda das aranhas, esses fios de seda não são originalmente usados ​​para fazer roupas, mas para permitir que essas pequenas criaturas peludas se movimentem, construam suas casas ou criem armadilhas para suas presas. Os cientistas estudaram as propriedades mecânicas e a estrutura do DNA da seda de aranha com o objetivo de criar novos usos para o material e produzi-lo em escala industrial.

Duas empresas, Bolt Threads e AMSilk, conseguiram produzir seda feita em laboratório inspirada na que é feita pelas aranhas. Com a Microsilk, a Bolt Threads já fez uma parceria com Stella McCartney e Adidas para criar um vestido feito com esta seda de última geração, enquanto a AMSilk, com sua Biosteel Fiber, já está por trás da criação de várias roupas, sapatos e acessórios. Ainda mais impressionante, The North Face usou a seda inovadora da Spiber para fazer uma jaqueta, a Moon Parka. Forte e durável, esta seda pode rapidamente se tornar um item básico do guarda-roupa.


Do leite vencido à fibra biodegradável



Incrível, mas real! O leite vencido também pode entrar em breve em nossos guarda-roupas. As fibras à base da proteína do leite, caseína, estão longe de ser novas, pois foram desenvolvidas por um químico e engenheiro italiano durante o período entre guerras. No entanto, recentemente voltaram à vanguarda para reduzir o impacto da moda no meio ambiente. Na época, a descoberta tinha o objetivo de substituir a lã, e hoje ela é usada na composição de camisetas ou peças de lingerie.

Embora o processo estabelecido na década de 1930 tenha sido aprimorado, ele permanece praticamente o mesmo. Ele consiste em usar leite vencido e transformá-lo em um tecido natural e biodegradável. O têxtil QMilk é um dos mais conhecidos e foi criado pela empresária alemã Anke Domaske, que buscava fibras naturais para o sogro que sofria de câncer. Mas, desde então, outras marcas se arriscaram nessa área, como a Germaine des Prés, que oferece calcinhas e camisolas feitas com fibra de leite, sendo antibacterianas e 100% biodegradáveis.


Dente-de-leão para fazer borrachas de nova geração



Se folhas de abacaxi, cogumelos, cactos, resíduos de maçã, uva ou milho, algas marinhas e cana-de-açúcar se tornaram comuns nas coleções de moda, o dente-de-leão pode se tornar um concorrente surpresa. Este também não é novidade na moda, pois a URSS examinou anteriormente o escopo de seu potencial na década de 1920, antes de desistir da ideia. Então, a empresa alemã Continental, que recentemente trouxe esta planta florida de volta aos holofotes, voltou-se para a raiz de dente-de-leão para fabricar seus famosos pneus.

O caule da planta é repleto de látex que, ao secar, se transforma em uma substância elástica de borracha, que pode muito rapidamente ofuscar a seringueira tradicional. Na moda, a marca americana Cole Haan entrou em campo e lançou um par de tênis com uma sola parcialmente feita de borracha de dente-de-leão. Parece que o jardim e o guarda-roupa estão cada vez mais próximos.

Além de todos os materiais sustentáveis ​​mencionados acima, a fibra de coco, o bambu ou fibras de lótus também estão ajudando a moldar o futuro da moda. Resta saber quais vão realmente se destacar e revolucionar nossos armários para sempre. Estamos apostando em seda cultivada em laboratório, micélio - um material derivado de cogumelos - frutas e legumes (sempre essenciais) e leite vencido. Todos estão a caminho de se tornar os materiais estelares do futuro.

Copyright © 2022 AFP-Relaxnews. All rights reserved.