×
894
Fashion Jobs
keyboard_arrow_left
keyboard_arrow_right

La Perla em crise: negociações para evitar demissões continuam

Por
AFP
Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
today 10 de out de 2019
Tempo de leitura
access_time 2 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

O Ministério do Desenvolvimento Econômico Italiano anunciou que as negociações com a marca de lingerie de luxo La Perla com o objetivo de evitar o corte de 126 funcionários continuam.


@laperla


"A empresa e os sindicatos vão se reunir novamente na sexta-feira" na sede da marca em Bolonha, na Itália, "para continuar as negociações e acertar os próximos passos para encontrar rapidamente uma solução para preservar os empregos", afirmou o ministério em comunicado.

Há cinco dias atrás, foi chegado a um pré-acordo para suspender os 126 cortes de empregos planejados. "Reunião La Perla, pré-acordo assinado com a região de Emília-Romanha: retirada de 126 demissões. Primeiro resultado importante para salvaguardar o emprego e a produção", escreveu no Twitter Stefano Bonaccini, presidente da região.

Esse pré-acordo, no entanto, apresenta "problemas técnicos" relacionados à sua aplicação e o Ministério do Trabalho também foi convocado "para identificar os melhores instrumentos para apoiar os trabalhadores e a empresa na superação da crise", disse o ministério.

Após um ano "difícil" de 2017, a empresa de lingerie de luxo começou a implementar uma "estratégia de reestruturação", que incluiria 126 cortes de empregos. Este anúncio levou a uma greve na sede da marca.

Para aumentar sua visibilidade e melhorar seu acesso ao capital, a La Perla estreou na Bolsa de Paris no mercado Euronext Growth no início de setembro.

Uma marca histórica de lingerie italiana, La Perla foi fundada em 1954 por Ada Masotti. A marca foi comprada em fevereiro de 2018 pela empresa de investimento holandesa Sapinda Holding da Pacific Global Management (PGM), que era proprietária da empresa desde 2013, depois de adquiri-la por 69 milhões de euros em um leilão realizado como parte de um processo de falência.

Copyright © AFP. Todos os direitos reservados. A Reedição ou a retransmissão dos conteúdos desta página está expressamente proibida sem a aprovação escrita da AFP.