×
894
Fashion Jobs
keyboard_arrow_left
keyboard_arrow_right

L'Oréal vai zerar suas emissões de carbono até 2050

Por
Adnkronos
Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
today 3 de out de 2019
Tempo de leitura
access_time 2 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

A L'Oréal decidiu zerar suas emissões líquidas até 2050, contribuindo assim para limitar o aumento da temperatura média global em até 1,5 grau acima dos níveis pré-industriais.


@loreal


"As mudanças climáticas não podem mais ser consideradas um problema distante ou para as gerações futuras", observa Alexandra Palt, vice-presidente executiva da L'Oréal e diretora de responsabilidade corporativa. "A L'Oréal foi uma das primeiras empresas a estabelecer metas ambiciosas de reduzir as emissões de CO2 de suas atividades industriais e alcançá-las, mas isso não basta, precisamos fazer muito mais e reduzir nosso impacto, de acordo com as demandas da comunidade científica e as necessidades do planeta".

No processo gradual que reduzirá as emissões líquidas até 2050, a L'Oréal se comprometeu a reduzir em 25% suas emissões de gases de efeito estufa de escopo 1, 2 e 3 até 2030 (ano base 2016). Para atingir esse objetivo, a L'Oréal reduzirá em 100% as emissões do escopo 1 e 2 em todos as instalações industriais, administrativas e de pesquisa até 2025 (ano base 2016).

A companhia de beleza já reduziu as emissões de instalações industriais em 77% em termos absolutos, de 2005 a 2018. No final de 2018, 38 unidades da L'Oréal haviam atingido a neutralidade de carbono. Uma performance que o Cdp reconheceu pelo sexto ano consecutivo, atribuindo à L'Oréal um dos três "A" por seus esforços na luta contra as mudanças climáticas.

Não é só isso. A L'Oréal foi incluída no Global Compact Lead por seu compromisso constante com o Global Compact das Nações Unidas e os Dez Princípios por uma gestão responsável dos negócios.

"As empresas líderes são caracterizadas pelo mais alto nível de dedicação ao Pacto Global das Nações Unidas", diz Lise Kingo, CEO e diretora executiva do Pacto Global das ONU. "Agora, mais do que nunca, o mundo precisa de empresas de todos os tamanhos, como as nomeadas 'Lead', que trabalham continuamente para melhorar seu desempenho sustentável e agem para criar um mundo melhor”.