×
167
Fashion Jobs
Por
AFP
Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
23 de out de 2020
Tempo de leitura
2 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

L'Oréal se recupera no terceiro trimestre e se diz confiante com o segundo semestre

Por
AFP
Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
23 de out de 2020

A gigante francesa de cosméticos L'Oréal se recuperou no terceiro trimestre, com o retorno do apetite por cosméticos na China.


AFP


O grupo registou queda de -2% em seu volume de negócios, para 7,04 bilhões de euros, em linha com as estimativas dos analistas entrevistados pela Factset. No entanto, em dados comparáveis, as vendas aumentaram 1,6%, indicou a empresa em um comunicado na quinta-feira (22).
 
Excluindo o segmento de travel retail [NR: lojas de aeroporto], o aumento foi de "5,4% em dados comparáveis, o que volta a ser significativo", declarou Jean-Paul Agon, CEO da L'Oréal, à AFP. Nos primeiros nove meses do ano, as vendas caíram 8,6%, para 20,11 bilhões de euros.

Embora todas as áreas geográficas se tenham mantido em ligeiro declínio, este foi menos acentuado do que no primeiro semestre, já que as vendas caíram 11,7% em seis meses. A Ásia-Pacífico, agora o primeiro mercado do grupo, experimentou um declínio de 1,9% (mas um aumento de 2,4% em perímetro comparável). A China se destacou pelo seu dinamismo, com um aumento de 18,1% nos primeiros nove meses do ano. A Europa Ocidental, o segundo mercado do grupo, se manteve praticamente estável no terceiro trimestre, com -0,7% (-2,5% em crescimento comparável). A América do Norte recuou 2,1% (mas subiu 1,3% em perímetro comparável).

Por ramo de atividade, a L'Oréal Luxe, dedicada a produtos de beleza premium (Lancôme ou Yves Saint Laurent), continuou registrando uma queda acentuada (-6,4%). Mas, a divisão “superou claramente o seu mercado, graças a uma gama de lançamentos muito extensa”, ressaltou Jean-Paul Agon no comunicado. As vendas da principal divisão do grupo, os produtos de consumo, recuaram 4,7% (mas ficaram praticamente estáveis em dados comparáveis).

Por outro lado, a divisão de Produtos Profissionais, que havia caído fortemente sob o impacto do encerramento de salões de cabeleireiro na primavera, recuperou 5% no terceiro trimestre. Esta divisão "alcançou o seu melhor trimestre em muitos anos, impulsionada pela reabertura dos cabeleireiros e pela aceleração do e-commerce", segundo a L'Oréal. A divisão de Cosmética Ativa continuou a ganhar impulso (+21,7%), ainda liderada pela Ásia e a América do Norte.

A L'Oréal não informou suas metas financeiras para este ano, mas disse almejar um segundo semestre com crescimento semelhante graças ao comércio online, que fez um boom nos primeiros nove meses do ano (+61,6%) e passou a representar 23,7% do volume de negócios.

Copyright © AFP. Todos os direitos reservados. A Reedição ou a retransmissão dos conteúdos desta página está expressamente proibida sem a aprovação escrita da AFP.