×
Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
3 de dez. de 2020
Tempo de leitura
2 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

L'Occitane International contraiu 15,2% no primeiro semestre

Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
3 de dez. de 2020

Impactado pela crise sanitária do coronavírus que, em seu auge, provocou o fechamento de 75% de sua rede global de 1.569 lojas, o grupo de cosméticos L'Occitane International viu suas vendas caírem 15,2%, para 616,6 milhões euros (-13,1% à taxa de câmbio constante), durante o primeiro semestre do exercício de 2020/21. De abril a setembro, o lucro operacional da empresa proprietária das marcas L'Occitane en Provence, L’Occitane au Brésil, Melvita, Erborian e Elemis, foi de 32,89 milhões de euros, ante 41,7 milhões de euros no mesmo período do ano anterior.


Elemis, uma das marcas da L'Occitane International - Elemis


A principal marca do grupo, L’Occitane en Provence, que representa 75% das vendas totais, alcançou vendas de 462,3 milhões de euros, -16,7%. A marca de cosméticos Elemis, por sua vez, obteve vendas de 64,6 milhões de euros, -23,2%.
 
Por sua vez, o segmento “Outras marcas" (Melvita, L'Occitane au Brésil e Erborian) registrou 35,2 milhões de euros, um decréscimo de 25,6%. Apenas a LimeLife subiu, impulsionada por lançamentos de produtos, promoções relâmpago e um novo aplicativo. A marca de maquiagem americana registrou um aumento de 33,5% nas vendas, para 54,3 milhões de euros.

Na França, onde o grupo possui 87 lojas, a L'Occitane International espera que seu faturamento atinja os 37,5 milhões de euros, ante 48,6 milhões no mesmo período de 2019. Com vendas de 113,9 milhões de euros, os Estados Unidos continuam sendo o principal mercado da L'Occitane, embora com uma contração de 14,7%. Neste primeiro semestre de 2020, apenas a Ásia se manteve em alta: a China viu suas vendas aumentarem 27,1%, para 97,4 milhões de euros, e o Taiwan, 19%. 

No Brasil, as vendas no período foram de 11,0 milhões de euros, uma diminuição de 41,8% à taxas de câmbio constantes. A empresa explicou em comunicado que; "tanto a marca L'Occitane en Provence quanto a L'Occitane au Brésil foram fortemente atingidas pelas medidas restritivas no país. Além disso, a L'Occitane au Brésil também foi afetada pelo comércio com 24 lojas a menos do que no mesmo período do ano passado.

Vale ressaltar que, nos primeiros seis meses de seu ano fiscal, as vendas online da L'Occitane aumentaram 80,8%. O grupo, que declarou que o resto do ano fiscal será mais uma vez um período difícil, indicou que pode ter que cortar 300 funcionários dos 9.000 que possui no mundo todo. Atualmente, a empresa está reestruturando as atividades da L'Occitane au Brésil e da Melvita, e racionalizando suas lojas nos Estados Unidos.

Copyright © 2022 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.