×

L Brands enfrenta prejuízos enquanto venda da Victoria's Secret se aproxima

Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
28 de fev de 2020
Tempo de leitura
3 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

A L Brands, Inc., com sede em Columbus, Ohio, que se prepara para vender uma participação maioritária na marca Victoria's Secret à empresa de private equity Sycamore Partners, anunciou uma perda líquida de 192,3 milhões de dólares, ou 0,70 dólares por ação, no quarto trimestre, encerrado a 1 de fevereiro de 2020. Um valor que está abaixo do lucro líquido de 540,1 milhões de dólares, ou 1,94 dólares por ação, obtido durante o mesmo período do ano anterior.
 

L Brands vai vender uma participação de 55% na Victoria's Secret - Instagram: @victoriassecret


As vendas líquidas da empresa no trimestre atingiram os 4,71 bilhões de dólares, o que representa uma redução de 2,9% em comparação com os 4,85 bilhões de dólares obtidos no mesmo período do ano anterior. As vendas comparáveis reduziram 2%.
 
As vendas no negócio da Victoria’s Secret na América do Norte situaram-se em 2,28 bilhões de dólares, refletindo uma queda de 10% nas vendas comparáveis, enquanto a Bath & Body Works North America registrou um aumento de 10% nas vendas comparáveis, com vendas totais de 2,17 bilhões.

O segmento internacional da empresa alcançou vendas trimestrais no valor de 177,1 milhões de dólares, número inferior aos 190,7 obtidos no mesmo período do ano anterior.

A Bath & Body Works tem sido um elemento-chave do portefólio da L Brands, enquanto a Victoria's Secret continua a vacilar na sua luta para se adaptar às mudanças nas expectativas dos consumidores.
 
Este mês, foi anunciada a venda de 55% da marca de lingerie à Sycamore Partners por cerca de 525 milhões de dólares, com a intenção de que a varejista se possa concentrar na marca de banho e beleza que lhe traz maiores benefícios e geri-la como uma empresa independente .

É esperado que esta transação seja concluída durante o segundo trimestre. Uma vez concluída, o CEO da L Brands, Leslie Wexner, deixará o seu cargo atual, irá se tornar presidente emérito e transferirá as rédeas para o atual diretor de operações da Bath & Body Works, Andrew Meslow, que passará a fazer parte do conselho de administração da empresa.
 
As vendas totais da L Brands em 2019 fixaram-se em 12,91 bilhões de dólares, o que representa uma queda de 2,4% em comparação com os 13,24 bilhões obtidos em 2018, enquanto as vendas comparáveis diminuíram 1%.

Uma vez mais, a Bath & Body Works obteve melhores resultados do que a Victoria's Secret, alcançando um aumento de 10% nas comparáveis e vendas no valor de 4,21 bilhões de dólares no seu negócio na América do Norte, enquanto a marca de lingerie registrou vendas no valor de 6,80 bilhões de dólares, o que representa uma queda de 7% em termos comparáveis.

As vendas anuais da L Brands no segmento internacional caíram de 605,3 milhões para 600 milhões de dólares.
 
A empresa anunciou uma perda líquida de 366,4 milhões de dólares, ou 1,33 dólares por ação, para o exercício fiscal de 2019, em comparação com os 643,9 milhões de dólares, ou 2,31 dólares por ação, obtidos no ano anterior.
 
Agora que os seus planos futuros começam a ganhar forma, a L Brands espera anunciar uma perda por ação ajustada de aproximadamente 0,05 dólares durante o primeiro trimestre do exercício fiscal de 2020, mas ainda não deu as suas previsões para o ano inteiro devido à transação pendente com a Sycamore Partners.

Copyright © 2020 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.