L Brands corta dividendo anual e nomeia novo CEO para a Victoria's Secret

Ao mesmo tempo que tenta renovar a sua principal marca Victoria’s Secret, a L Brands anunciou na segunda-feira que irá reduzir o seu dividendo ordinário anual para metade e contratar um executivo da Tory Burch para ajudar a gerir a cadeia de lingerie.

L Brands corda dividendo anual e nomeia novo CEO para a Victoria's Secret - Facebook: Victoria's Secret
 
A empresa de moda de Columbus, Ohio, disse na segunda-feira que baixará o seu dividendo para 1,20 dólares por ação, dos atuais 2,40 dólares.
 
Mesmo assim, superou as expectativas de lucro com lucros ajustados por ação de 0,16 dólares no terceiro trimestre, encerrado a 3 de novembro de 2018.
 
A empresa anunciou vendas líquidas de 2775 milhões de dólares (cerca 2427 milhões de euros) nestas 13 semanas, um aumento de 6% em comparação com as vendas líquidas de 2618 milhões (cerca de 2290 milhões de euros) do trimestre encerrado a 28 de outubro de 2017. Por outro lado, as vendas comparáveis aumentaram 4%.
 
Uma situação difícil para a Victoria's Secret

As vendas da Victoria's Secret, a maior divisão da L Brands por receita, caíram, no entanto, 2%. Foram as outras marcas do grupo, Bath & Body Works, com um aumento de 13%, e L Brands, aumento de 4%, que tiraram de apuros a empresa, que reportou um prejuízo fiscal no terceiro trimestre de 42, 8 milhões de dólares (37,4 milhões de euros).
 
A empresa também anunciou que John Mehas será o novo CEO da Victoria's Secret Lingerie, a partir do início de 2019. Mehas substituirá Jan Singer, que se demitiu este mês.
 
Mehas ocupa atualmente o cargo de presidente da Tory Burch, a icónica marca de lifestyle. Anteriormente, Mehas esteve à frente da Club Monaco, uma marca da Polo Ralph Lauren, durante 13 anos como presidente e CEO.

"Este trimestre tomámos decisões difíceis que nos permitem aumentar o foco nos nossos principais negócios e em maiores oportunidades de crescimento", disse Leslie Wexner, presidente e CEO da L Brands.
 
"Estas ações, que incluem o encerramento da Henri Bendel e a procura de alternativas para a La Senza, fortalecerão a nossa empresa a longo prazo. Olhando para o futuro, continuamos focados em levar a cabo a nossa estratégia, cingindo-nos aos fundamentos do nosso negócio, mantendo-nos próximos dos nossos clientes e aproveitando a força das nossas marcas para cumprir com os nossos compromissos com os nossos clientes, associados e acionistas", acrescentou.

Olhando para o futuro, a empresa espera que o lucro por ação do quarto trimestre se situe entre 1,90 e 2,10 dólares. Também aumentou a sua previsão de lucro por ação ajustado para o ano de 2018 para entre 2,60 e 2,80 dólares, em comparação com a previsão anterior de entre 2,45 e 2,70 dólares.

Traduzido por Estela Ataíde

Copyright © 2018 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

Moda - AcessóriosLingerieBem-estarNegócios
ASSINE A NOSSA NEWSLETTER