×
Por
AFP
Publicado em
21 de nov. de 2016
Tempo de leitura
2 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Kiabi aposta no mercado externo para dobrar suas vendas até 2021

Por
AFP
Publicado em
21 de nov. de 2016

A marca francesa de lojas de vestuário a preços acessíveis anunciou querer dobrar suas vendas daqui para 2021. Por outro lado, ela aposta no seu desenvolvimento internacional, incluindo o Brasil.

A marca pretende seguir com seu desenvolvimento internacional. - Kiabi


O grupo realiza atualmente um volume de negócios anual de 1.8 bilhão de euros (6.44 bilhões de reais). Ele já se encontra presente em 25 países, dos quais 14 onde administra lojas, uma vez que o restante opera unicamente via site de venda on-line.
 
"A nossa estratégia é clara: reforçar as nossas posições na Europa via as grandes capitais como Paris, dar continuidade ao desenvolvimento no Oriente Médio e na África subsaariana, depois conquistar, a partir de 2018, o Brasil, a Índia e a China", anunciou o CEO do grupo, Nicolas Hennon, em um comunicado.

A marca espera assim, daqui a cinco anos, passar de 500 para 700 lojas no mundo, tendo por objetivo realizar a metade do seu volume de negócios no exterior.
 
O grupo, ainda não cotado, não publica volume de negócios detalhados sobre seus resultados de 2015 e 2016. Para este ano, o mercado internacional deve representar cerca de 27% das vendas totais do grupo, apontou à AFP Christine Jutard, diretora de recursos humanos na Kiabi.
 
"Hoje, as nossas apostas de crescimento se situam no mercado externo: estamos de olho nas grandes cidades, em todos os cantos do mundo, e buscamos locais premium com fluxos mínimos de dez milhões de visitantes", explicou a dirigente durante o Mapic, o salão do imobiliário comercial de Cannes.
 
Este ano, o grupo já abriu cerca de trinta novas lojas. No exterior, a Kiabi foi implantada recentemente na Bélgica. "Dentro de alguns dias, nós abriremos também no Gabão", aponta Christine Jutard.
 
Daqui para 2021, o desenvolvimento da marca passará em especial pela Argélia, Portugal, Emirados Árabes Unidos, depois a partir do primeiro semestre de 2018 pelo Brasil. Paralelamente, o grupo continuará a reforçar sua presença nos países onde já se encontra presente. A expansão será realizada ao mesmo tempo em lojas próprias e sob o sistema de franquias.
 
No entanto, a Kiabi não se esquece da França, "onde estamos este ano em crescimento, apesar de um contexto de mercado difícil", explica Christine Jutard. O distribuidor ambiciona assim abrir cerca de vinte lojas na região parisiense daqui a cinco anos.
 
O grupo, que estava até aqui presente basicamente nos parques comerciais da periferia, mira agora implantações em centros comerciais e nos centros das cidades. Mas ainda em superfícies importantes de cerca de 1.500 metros quadrados, explica a responsável.
 
Para consolidar seu desenvolvimento, a Kiabi anuncia, por outro lado, querer contratar 5.000 novos colaboradores dentro dos próximos cinco anos. O grupo emprega atualmente 8.700 pessoas no mundo.

Copyright © AFP. Todos os direitos reservados. A Reedição ou a retransmissão dos conteúdos desta página está expressamente proibida sem a aprovação escrita da AFP.