×
Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
20 de out. de 2021
Tempo de leitura
5 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Kering: Saint Laurent, Bottega Veneta e marcas menores impulsionam crescimento no 3.º trimestre

Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
20 de out. de 2021

O gigante francês da moda e do luxo Kering continuou a sua dinâmica e encerrou o terceiro trimestre de 2021 com pouco menos de 4,2 bilhões de euros em vendas, um aumento de +12,6% em uma base real publicada; +12,2% em uma base comparável com o terceiro trimestre de 2020; e um aumento de + 10,0% em uma base comparável com o terceiro trimestre de 2019.


Saint Laurent - primavera-verão 2022 - Womenswear - Paris - © PixelFormula


Nos primeiros nove meses do ano, as vendas do grupo aumentaram +36,6% numa base comparável em comparação com 2020 (+9,0% em relação a 2019), enquanto as vendas da rede de lojas das marcas de luxo propriedade da empresa, que inclui o comércio eletrônico, aumentaram +12% em uma base comparável com o terceiro trimestre de 2020 e +11%, novamente numa base comparável, em relação ao terceiro trimestre de 2019.
 
"Continuando a sua excelente primeira metade, a Kering teve um terceiro trimestre muito sólido, com um crescimento de dois dígitos em comparação com 2019. A Saint Laurent, a Bottega Veneta, as nossas 'Autres Maisons' e a Kering Eyewear, todas tiveram atuações excepcionais", disse François-Henri Pinault, presidente e diretor executivo do grupo, em um comunicado. "A Gucci, com o lançamento da coleção 'Aria', prepara-se para um fim de ano agitado. Em um mercado de luxo em constante mutação, estamos reforçando o posicionamento e a distribuição de todas as nossas maisons e a atribuindo-lhes os recursos necessários para estarem o mais próximo possível dos seus clientes", explicou ainda o PDG, que definiu a sustentabilidade como "o cerne da nossa estratégia" e que está "investindo para manter o caminho de crescimento rentável a longo prazo".

O negócio da empresa francesa está sendo conduzido em particular por uma excelente dinâmica na América do Norte. Na Europa Ocidental e no Japão, ainda afetados pela falta de turistas, há no entanto uma melhoria nos negócios, constata a Kering. Na Ásia-Pacífico, após um forte aumento no primeiro semestre do ano, a região está em alta tanto em 2020 como em 2019, embora afetada pelo reinício de casos de COVID-19 durante o verão.
 
As vendas online também continuaram com um bom crescimento, +24,3% em comparação com o terceiro trimestre de 2020 e +147,9% em comparação com o mesmo período em 2019.


Grupo musical Måneskin na campanha da coleção "Aria" da Gucci


Por marca, a Gucci (que permanece de longe a principal chancela da empresa) registrou um trimestre de transição, com vendas no período de 2,18 bilhões de euros, mais +4,5% em uma base real e +3,8% em uma base comparável. As vendas da rede de lojas da própria empresa cresceram +6,9% e +1,6% em uma base comparável contra o terceiro trimestre de 2020 e 2019 respetivamente. O forte desempenho de vendas continuou na América do Norte e na Europa Ocidental, particularmente entre os clientes locais.
 
Em uma base comparável, as vendas por atacado diminuíram -19,1% em comparação com o terceiro trimestre de 2020 e -44,5% em comparação com o terceiro trimestre de 2019, em conformidade com a estratégia da maison de tornar a sua distribuição ainda mais exclusiva.
 
Mas foi a Yves Saint Laurent que acelerou de forma exemplar, em um terceiro trimestre em que continua a sua forte trajetória de crescimento, com vendas de 652,9 milhões de euros, +27,8% em uma base real publicada e +28,1% em uma base comparável em relação ao ano anterior. Em relação a 2019, o crescimento das receitas está acelerando sequencialmente. Em uma base comparável, a atividade da rede de lojas próprias está crescendo fortemente, +30,9% no trimestre e +36,9%  ante o mesmo trimestre em 2019, graças ao sucesso de todas as categorias de produtos, com uma taxa de crescimento de dois dígitos cada.
 
Esta notável dinâmica continua em todas as geografias, particularmente na América do Norte e na Europa Ocidental. Na Ásia-Pacífico, a atratividade da maison de moda sediada em Paris está apenas aumentando. As vendas na rede atacadista aumentaram +22,1% em uma base comparável ante o terceiro trimestre de 2020.
 
O crescimento da Bottega Veneta foi saudável e equilibrado, alimentado pelo seu sucesso tanto com os clientes existentes como com novos. A marca baseada em Vicenza atingiu 363,4 milhões de euros em receitas no terceiro trimestre, +9,3% em uma base publicada e +8,9% em uma base comparável, com um aumento de +6,1% nas vendas do varejo em uma base comparável no trimestre, uma progressão foi de +18,4% numa base comparável ao longo do terceiro trimestre de 2019. A rede atacadista muito exclusiva na qual a Bottega Veneta distribui os seus produtos registrou um aumento de vendas de +18,3% em uma base comparável no trimestre durante o mesmo período em 2020. 


Crescimento da Boucheron é excepcional, particularmente na China e na Coreia do Sul - Boucheron


As vendas das outras marcas de prestígio do grupo, agrupadas sob a categoria "Autres Maisons", também tiveram um desempenho muito bom no terceiro trimestre deste ano, totalizando 843,7 milhões de euros, +26,1% numa base publicada e +26,0% numa base comparável. Este forte aumento se deve, em particular, à contínua expansão da Balenciaga e Alexander McQueen, cujas vendas continuam a crescer em todos os canais de distribuição. Todas as empresas de joias alcançaram desempenhos notáveis graças à excelente recepção das coleções Boucheron. O crescimento da marca foi excepcional, particularmente na China e na Coreia do Sul, disse a Kering, bem como as vendas da Pomellato e da Qeelin, que foram fortes e dinâmicas. A retomada do crescimento das vendas de relógios ambém foi confirmada.
 
Em um trimestre no qual a Kering recordou a completa cessação do uso de peles de animais, a aquisição do fabricante dinamarquês de óculos de luxo Lindberg e o lançamento com a Cartier da "Watch & Jewellery Initiative 2030" em parceria com o Conselho de Joalheria Responsável, o volume de negócios da divisão "Corporate" e outras do grupo italiano cresceu 24,1% em uma base comparável, impulsionado pelo excelente desempenho da Kering Eyewear em seus principais mercados e em todos os canais de distribuição.
 

Copyright © 2021 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.