×
Por
Reuters API
Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
10 de jun. de 2022
Tempo de leitura
2 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Kering quer aumentar vendas da Gucci para 15 bilhões de euros no médio prazo

Por
Reuters API
Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
10 de jun. de 2022

O grupo de luxo francês Kering anunciou na quinta-feira (9), após uma apresentação a investidores, que estabeleceu a meta de aumentar as vendas anuais de sua principal marca, a Gucci, para 15 bilhões de euros no médio prazo.


Campanha da Gucci para a primavera 2022 - DR

 
As vendas da italiana Gucci, principal marca e fonte de lucro do grupo, totalizaram 9,73 bilhões de euros em 2021. O grupo espera aumentar as vendas da marca por meio de uma combinação de maior fluxo de clientes em lojas, da expansão da rede comercial e da elevação de preços.

A Kering planeja elevar os preços regularmente e continuar aumentando a proporção de produtos de alta gama em suas coleções, incluindo bolsas de peles preciosas, sapatos personalizados e joias finas, uma categoria de produto que foi introduzida em 2019.

Na China, a empresa quer acelerar os negócios por meio de uma "execução local mais forte", especialmente no segmento de luxo, e nos Estados Unidos vai ampliar o número de lojas e reduzir o atacado.

O lucro da Gucci quase quadruplicou e sua receita quase triplicou durante o período de 2015 a 2019, sob o comando do CEO Marco Bizzarri e do diretor criativo Alessandro Michele.

Embora grande parte do sucesso da marca até recentemente tenha se apoiado em compradores chineses jovens e abastados que viajavam às capitais europeias da moda para adquirir os designs peculiares de Michele, desde a pandemia a empresa procura alcançar os consumidores locais.

Na quarta-feira (8), analistas disseram que as novas metas para a Yves Saint Laurent, a menor empresa da Kering, mas a que mais cresce, provavelmente os levarão a elevar suas previsões de resultados para a empresa.

A Gucci está sendo observada de perto pelo mercado porque sofreu mais do que a concorrência durante os últimos lockdowns na China.

© Thomson Reuters 2022 All rights reserved.