×

Kering estaria explorando um possível acordo com a Moncler

Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
today 5 de dez de 2019
Tempo de leitura
access_time 2 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Poucos dias após a formalização do acordo entre a LVMH e a Tiffany por mais de 14,7 bilhões de euros, outra gigante francesa do luxo estaria se posicionando para fazer uma importante aquisição. Segundo informações da Bloomberg, a Kering e Moncler estariam discutindo um possível acordo.


Moncler Genius com Craig Green - Moncler


De acordo com fontes da mídia americana, existe a possibilidade de uma "união" entre o grupo liderado por François-Henri Pinault e a marca nascida no mundo do esqui, em Grenoble, que se tornou uma especialista em jaquetas de inverno premium com sede em Milão. A Bloomberg ressaltou que a Kering não quis comentar sobre o assunto e que não foi possível entrar em contato com os representantes da Moncler.

A Moncler Spa, uma empresa de capital aberto, é avaliada em cerca de 10 bilhões de euros. O preço das ações quase quadruplicou desde seu IPO em 2013. Na quarta-feira, 4 de dezembro, as ações fecharam em 38,83 euros. O acionista majoritário continua sendo Remo Ruffini, que detém cerca de 22,5% dos títulos, de acordo com cálculos feitos pela Bloomberg.

O casaco de plumas ainda é o principal produto da Moncler e custa a partir de cerca de 850 euros. Mas a marca vem desenvolvendo um guarda-roupa completo e aumentou sua visibilidade e apelo com uma clientela mais elegante graças ao seu projeto Moncler Genius, que consiste em colaborações com estilistas de talentos e dá à marca um tom mais ousado.

A iniciativa também abriria possibilidades para a marca criar mais colaborações especiais com lojas de departamento, como fez recentemente com as Galeries Lafayette Champs Elysées, e, ao mesmo tempo, ampliar o alcance com sua oferta mais convencional em áreas e rotas turísticas, como fez há alguns meses na Champs Elysées, em Paris. Recentemente, Remo Ruffini explicou ao FashionNetwork.com que a Moncler, que tem cerca de 220 lojas em todo o mundo, quer desenvolver o travel retail, mas também o negócio na China, que representa 30% de seu faturamento. Nos nove primeiros meses de 2019 a empresa registrou um volume de negócios de 995 milhões de euros.

Por outro lado, para a Kering, um acordo com a marca de skiwear lhe permitiria entrar em um novo território, que atualmente não atende com suas marcas Gucci, Bottega Veneta, Saint Laurent, Balenciaga e Alexander McQueen. De certa forma, o grupo de François-Henri Pinault, que se separou da Puma no ano passado, retornaria ao mundo do esporte com uma abordagem que corresponde melhor ao seu portfólio de marcas.

Copyright © 2020 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.