×
1 053
Fashion Jobs
GRUPO BOTICARIO
Pessoa Coordenador(a) de Compras de Eventos
Efetivo · São José dos Pinhais
RENNER
Product Owner (po) - Omnichannel
Efetivo · São Paulo
FARFETCH
Product Manager (Ecommerce Experience) - Farfetch Platform Solutions
Efetivo · SÃO PAULO
GRUPO BOTICARIO
Especialista ii Treinamento Comercial Venda Direta - Franschising
Efetivo · São Paulo
GRUPO BOTICARIO
Pessoa Compradora de Projetos Júnior - Híbrida - PR
Efetivo · São José dos Pinhais
GRUPO BOTICARIO
Especialista i - Inteligência Comercial
Efetivo · São Paulo
MARISOL
Analista de CRM - São Paulo
Efetivo · São Paulo
GRUPO BOTICARIO
Gerente sr Comercial Lojas Boti (Nordeste)
Efetivo · Brasília
RENNER
Content & Performance Manager
Efetivo · São Paulo
VIVARA
Analista de Compliance Senior
Efetivo · São Paulo
MARISOL
Analista de CRM
Efetivo · Jaraguá do Sul
VIVARA
Analista de CRM sr
Efetivo · São Paulo
RENNER
Product Owner (po) | Marketplace – Onboarding de Sellers
Efetivo · São Paulo
RENNER
Product Owner (po) | Marketplace - Atendimento e Pós-Vendas
Efetivo · São Paulo
PUMA
Retail District Manager
Efetivo · São Paulo
RENNER
Coordenador de CRM
Efetivo · São Paulo
GRUPO BOTICARIO
Pessoa Consultora de Vendas - o Boticário (Zona Oeste)
Efetivo · Rio de Janeiro
GRUPO BOTICARIO
Analista ii - Supply Chain - Camaçari
Efetivo · Camaçari
GRUPO BOTICARIO
Analista de Planejamento e Demanda i
Efetivo · Curitiba
GRUPO BOTICARIO
Analista de Embalagem Iii
Efetivo · São José dos Pinhais
GRUPO BOTICARIO
Especialista i - Inteligência e Performance em Suprimentos
Efetivo · São José dos Pinhais
GRUPO BOTICARIO
Analista de Embalagem ii
Efetivo · São Paulo
Publicado em
17 de out. de 2022
Tempo de leitura
4 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Kenzo apresenta suas primeiras coleções e arquivos nas Journées Particulières LVMH

Publicado em
17 de out. de 2022

No número 18 da rue Vivienne, no 2º arrondissement de Paris, a poucos passos da galeria homônima que abrigou a primeira loja Kenzo e em frente à Biblioteca Nacional da França, estão localizados, desde 2007, a sede da Kenzo e seus ateliês. Uma mansão de pedra privada, entre um pátio e um jardim.

O edifício pertenceu ao sobrinho de Colbert e foi o lar de uma casa de comércio de seda e lã. "Pela segunda vez desde 2013, Kenzo participa das Journées Particulières do Grupo LVMH", explica Camille Martinez, diretora de patrimônio. "Com o tema 'Savoir Faire Rêver' o nosso desafio é mostrar a nossa experiência através do legado da casa", acrescenta. No térreo, as silhuetas das primeiras coleções, alguns arquivos muito bem preservados, flertam com os looks desenhados por Nigo, atual diretor artístico da marca. Uma verdadeira cápsula do tempo da empresa.


A cor vermelha, que vemos aqui com o logotipo da marca, é o fio condutor da exposição - Kenzo


Acompanhados por uma melodia de hip-hop, os visitantes transitam pelo universo Kenzo, entre múltiplos padrões e um caleidoscópio de cores vivas. A história da casa remonta à sua fundação em 1970 pelo costureiro japonês, quando se chamava Jungle Jap, uma referência à selva urbana de Paris e às pinturas de Douanier Rousseau. "Kenzo Takada queria apagar sua persona de sua marca", diz Salomé Dudemaine, curadora e historiadora da moda. "Mas o nome era difícil de comercializar nos Estados Unidos porque era visto de forma depreciativa e racista."

Dez anos depois, a marca foi renomeada para Kenzo. No entanto, o tigre sobreviveu à mudança de nome. O animal favorito do estilista japonês continua rugindo nos trench coats da coleção primavera-verão 2023, desenhada por seu sucessor. O mesmo vale para seu material favorito, que é usado na maioria dos looks em exibição. "No início, Kenzo Takada usava o algodão por questão  econômica, mas depois se tornou uma opção estética para ele porque esse material permite que o corpo respire", continua a curadora Salomé Dudemaine. Muitos dos manequins exibem looks da década de 1970 e também contemporâneos, como "o famoso corte em T com mangas borboleta com o qual o estilista quis liberar as silhuetas".

Uma infinidade de referências ao fundador permeiam o guarda-roupa de seu atual diretor artístico, Nigo. A casa, que completa 53 anos no próximo mês de abril, combina assim as suas criações com passado, presente e futuro.


Viagens, educação terrena e espiritual



O designer japonês, nascido em fevereiro de 1939 na cidade japonesa de Himeji, sonhava com o Ocidente e outros lugares. Depois de se formar na Bunka Fashion College, ela cruzou oceanos até chegar a Paris, a cidade do seu coração. "Esta longa viagem de barco o levou de Tóquio a Hong Kong, passando por Cairo, Djibuti e Marselha", explica Salomé Dudemaine. Muitas etapas para uma viagem que foi um pouco de iniciação, durante a qual se nutriu de técnicas locais que descobriu.

Como o vestido-avental vermelho cereja, apertado na cintura como um quimono, e torcido com pespontos e bordados vegetais, um look da coleção de inverno de 1975 que fazia referência à dinastia chinesa Manchu. Em um manequim vizinho, um imponente casaco azul com estampa floral, uma homenagem ao traje tradicional cossaco. "O forro de veludo é inspirado nos tapetes eslavos e dá um efeito dramático à peça", continua a historiadora de moda.


O célebre vestido de noiva com fitas sobrepostas é a peça chave das coleções de Kenzo - Kenzo


Embora Kenzo Takada tenha afirmado ao longo de sua carreira que não seguia as convenções da alta costura, uma de suas obras-primas tem uma semelhança impressionante com elas. Um vestido de noiva com babados, feito em mosaico de tons rosas e dourado.

"Ela fez este vestido com fitas, à mão e diretamente no manequim... quase por acaso, usou técnicas de alfaiataria herdadas da alta costura", diz Camille Martinez. "Muito frágil e muito pesada", esta estrela da exposição encontra-se, no entanto, em excelentes condições porque "foi mantida lisa com uma forma anatômica em seu interior para não se deformar", acrescenta.

Embora a Kenzo seja uma marca jovem com 122 lojas em todo o mundo, leva muito a sério o arquivo de suas coleções antigas, controlando rigorosamente os níveis de umidade e luz nos armazéns. Com sua equipe de três pessoas, Camille Martinez "caça peças vintage em sites e brechós para reconstituir o patrimônio da casa". "Como a Kenzo está presente em muitos lares, com perfumes, roupas de cama e peças de prêt-à-porter, realmente temos um imaginário vivo em torno da marca", afirma.

De fato, à medida que esta exposição de curta duração se desenrola, os sonhos coloridos e a exuberância de seu fundador, Kenzo Takada, ainda estão muito presentes.

Copyright © 2023 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.