Italiana Cavalli tem três potenciais investidores

Três investidores, incluindo o empresário de moda italiana Renzo Rosso, poderão fazer uma oferta pela marca de luxo Roberto Cavalli, de acordo com um documento apresentado a um tribunal de Milão pela empresa, que procura margem de manobra junto dos seus credores.


Ver o desfile
Roberto Cavalli - outono-inverno 2019 - Moda Feminina - Milão - © PixelFormula

Na segunda-feira, a empresa de moda apresentou um pedido junto de um tribunal de falências para obter 120 dias de proteção contra os seus credores para chegar a um acordo sobre a dívida e encontrar um novo investidor, após lutar para reanimar as vendas e lidar com uma crise de dinheiro.
 
A Cavalli, favorita na passadeira vermelha e famosa pelos seus estampados animais, pertence desde 2015 em 90% à empresa de capital privado Clessidra. O grupo italiano tentou reativar a marca com um novo diretor e designer.

No entanto, a empresa tem vindo a registar perdas desde 2014, com a única exceção de 2015, ano em que voltou a alcançar lucros após a venda de uma propriedade em Paris.
 
Em setembro, a Clessidra contratou a Rothschild para procurar um novo investidor que proporcionasse ao grupo "os recursos necessários para superar a difícil situação e relançar o negócio" e subscreveu também um aumento de capital de 15 milhões de euros em 2018, como mostra o documento examinado pela Reuters.

No entanto, o investidor privado rejeitou um pedido do conselho de administração da Cavalli em março deste ano para injetar mais 47 milhões de euros na empresa, conforme explicado nos documentos apresentados ao tribunal.
 
Segundo fontes próximas do caso, o fundo através do qual a Clessidra é proprietária da Cavalli atingiu o seu limite legal de investimento.

Dos 80 potenciais investidores contactados pela Rothschild, três mostraram interesse em adquirir a empresa na sua totalidade, revela o documento.
 
A Bluestar, uma holding americana proprietária da marca de moda Bebe, reviu a oferta inicial, mas expressou a "sua vontade de avaliar uma aquisição do negócios como parte de um acordo de reestruturação de dívida".

O grupo OTB, proprietário da Diesel e dirigido por Renzo Rosso, negou inicialmente o seu interesse, mas ofereceu-se para investir na Cavalli juntamente com os atuais acionistas e declarou estar “disponível para chegar a um acordo como parte do procedimento de credores".
 
O documento revela também que o designer de moda alemão Philipp Plein, que tem a sua própria marca, poderá estar interessado em prosseguir com as negociações de aquisição, mas somente depois de chegar a um acordo com os credores.
 
A Cavalli está a liquidar a sua unidade nos Estados Unidos e esta semana fechou as suas lojas no país.

Traduzido por Estela Ataíde

© Thomson Reuters 2019 Todos os direitos reservados.

Luxo - Pronto-a-vestirDistribuição
ASSINE A NOSSA NEWSLETTER