×
Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
8 de jun. de 2022
Tempo de leitura
3 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Inditex obtém lucro recorde de 760 milhões no primeiro trimestre

Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
8 de jun. de 2022

Resultados otimistas na primeira apresentação financeira da Inditex desde a saída de Pablo Isla. O grupo de moda espanhol viu o seu lucro líquido crescer 80% para 6.742 bilhões de euros no primeiro trimestre, o período entre 1 de fevereiro e 30 de abril, conforme noticiou esta quarta-feira, 8 de junho, à Comissão Nacional do Mercado de Valores Mobiliários (CNMV) espanhola.


Loja da Zara - Inditex


Este valor recorde foi o resultado da “forte recuperação” do tráfego nas lojas e do bom desempenho das novas coleções das sete marcas do grupo, superando os 734 milhões que a empresa faturou em 2019. Até agora, era o maior valor para um início de exercício.
 
No entanto, estes lucros foram afetados pela decisão da empresa de aprovisionar na totalidade as despesas estimadas para o exercício de 2022 na Federação Russa e na Ucrânia. Uma decisão que significou uma cobrança extraordinária de 216 milhões incluída nas contas deste primeiro trimestre. Assim, sem a aplicação da provisão, o lucro líquido teria ascendido a 940 milhões de euros.

Online atingirá 30% das vendas em 2024



Por sua vez, as vendas cresceram 36% para 6742 milhões de euros, enquanto o lucro operacional bruto aumentou 55% para 1.917 bilhão. As operações no canal online ficaram 6% abaixo dos valores registados nos primeiros três meses do ano anterior. No entanto, o grupo sublinhou a “força” do online, que consolidou “a quase totalidade” do crescimento de 67% registrado em 2021. Ao câmbio atual, a Inditex espera um impacto cambial neutro sobre as vendas em 2022 e que o faturamento online ultrapasse os 30% do total em 2024.
 
Em relação ao início do segundo trimestre, a empresa destacou a “excelente receção” das coleções primavera-verão. Entre 1 de maio e 5 de junho de 2022, as vendas a câmbio constante cresceram 17% e 13% nas últimas 2 semanas desse período. Por sua vez, a margem bruta das vendas atingiu 60,1%, o maior valor registado nos últimos 10 anos.


Óscar García Maceiras, CEO da Inditex - Inditex


O CEO da empresa, Óscar García Maceiras, salientou que estes resultados são fruto “de um modelo diferenciado em plena capacidade”. “A solidez e capacidade de adaptação do modelo de negócio e o sólido desempenho das nossas equipas criativas, comerciais e operacionais aprofundam a diferenciação da nossa proposta, com uma forte aposta na inovação, digitalização e sustentabilidade.”
 

Crescimento "robusto" internacionalmente


 
Por região, os Estados Unidos consolidaram-se durante os três meses como o segundo mercado da Inditex, embora a empresa tenha indicado que as vendas cresceram "de forma robusta" em todas as geografias. Durante o período, a Inditex abriu pontos de venda em 16 mercados, encerrando o exercício com 6.423 lojas.
 
Ao dia de hoje, a empresa de Amancio Ortega tem 90% dos seus estabelecimentos abertos. Os fechamentos correspondem a mercados como Ucrânia e Rússia, onde as lojas do grupo e a loja online se mantêm temporariamente inativas desde 24 de fevereiro e 5 de março na Ucrânia e na Rússia, respectivamente. Além disso, o conglomerado sofreu o encerramento de 67 lojas na China devido à Covid-19.
 
A Inditex informou que a assembleia geral de acionistas será realizada em 12 de julho, quando serão ratificados os cargos de Marta Ortega e García Maceiras, e sublinhou que até 2022 espera uma margem bruta estável superior a 50 pontos base.

Copyright © 2022 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.