×
892
Fashion Jobs
keyboard_arrow_left
keyboard_arrow_right

Inditex integra Zara Home na Zara

Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
today 13 de mar de 2019
Tempo de leitura
access_time 3 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Surpresas na Zara Home, coincidindo com a apresentação dos resultados anuais do grupo Inditex, que teve lugar na sede do grupo em Arteixo (A Coruña) na manhã de quarta-feira, 13 de março. A cadeia especializada em casa e decoração aproxima-se da irmã mais velha do grupo, que pela primeira vez apresentou de forma conjunta os resultados de ambas as cadeias. Uma nova fusão em termos contabilísticos, que evoluirá para a integração da venda dos artigos da marca de decoração na Zara.


Zara Home Seul - Inditex


"A ideia é, de futuro, considerar a Zara Home como uma quarta seção da Zara", anunciou o presidente da Inditex, Pablo Isla, após a empresa ter comunicado os resultados de 2018 de ambas as cadeias de forma conjunta à Comissão Nacional do Mercado de Valores (CNMV) espanhola no início da manhã. Um movimento estratégico motivado pelas "sinergias emergentes entre os dois conceitos", como explicou o executivo. Assim, a Zara Home continuará a operar através da sua loja online e das suas 603 lojas (524 de gestão própria e 79 franquias), integrando ao mesmo tempo alguns pontos de venda da Zara como uma secção dedicada à casa e à decoração, somando-se às atuais 'Woman', 'Man', 'Trf' e 'Kids'.
 
Esta fórmula já é aplicada em algumas lojas físicas, indicou a Inditex, dando como exemplo lojas da Zara em Londres, São Petersburgo e Alberto Aguilera, em Madrid, nas quais ambas as cadeias já trabalham de mãos dadas. Um modelo semelhante ao da gigante sueca H&M com a sua linha H&M Home, que coloca Inditex na tendência crescente de lojas de moda que incorporam cada vez mais produtos para o lar e estilo de vida: do modelo low cost da Primark, por exemplo, à aposta estética das cadeias Urban Outfitters ou Anthropologie, propriedade do grupo americano URBN. Desta forma, a Zara Home passa a comportar-se como uma extensão da sua irmã mais velha, seguindo o caminho da Zara Kids, uma secção independente dentro dos pontos de venda da Zara, sendo ao mesmo tempo uma categoria que conta com lojas independentes (um total de 128 , no final do exercício de 2018).

Da mesma forma, a empresa expressou a sua vontade de incorporar de forma gradual produtos da Zara Home no site da Zara em alguns mercados, a partir da próxima campanha outono-inverno, o que permitiria que a Zara Home entrasse em países nos quais ainda não está presente, assim como inúmeros testes possíveis de demanda e hábitos dos seus clientes. Assim, Pablo Isla explicou que "na loja online será uma vantagem por questões de sinergias operacionais e de funcionamento". Em linha com a estratégia de integração omnicanal, que está entre as prioridades do grupo para 2020, o grupo afirmou que "o objetivo é maximizar o impacto operacional e de gestão da marca, combinando a plataforma de vendas online e em loja ".

Em 2018, o resultado líquido da Inditex subiu 2% para 3,44 bilhões de euros e as vendas do grupo bateram recordes atingindo os 26,15 bilhões de euros, mais 3% do que no ano anterior. Por seu lado, Zara e Zara Home, que publicaram juntas a soma dos seus números, faturaram um total de 18,02 bilhões de euros, ante 17,45 bilhões de euros no ano passado. No ano fiscal de 2017, as vendas da Zara subiram para 16,62 bilhões de euros, enquanto as da Zara Home subiram para 830 milhões de euros. Pablo Isla, que preferiu reservar os dados de vendas detalhados para cada uma das duas cadeias, assegurou que os números são coerentes em relação à progressão de ambas as marcas. "Em linha com a evolução global da empresa, é um passo lógico na vida da cadeia", concluiu o presidente.

Copyright © 2019 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.