×
Publicado em
2 de dez de 2020
Tempo de leitura
3 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Ian Rogers se desliga da LVMH enquanto grupo de luxo reorganiza suas divisões digitais

Publicado em
2 de dez de 2020

O executivo americano Ian Rogers vai deixar o projeto 24S, plataforma de comércio eletrónico da LVMH, o maior conglomerado de luxo do mundo, como parte de um grande reorganização na área de TI do grupo.


Ian Rogers vai deixaro projeto 24S de comércio eletrônico da LVMH - dr


Ian Rogers, que saiu da Apple para entrar para a LVMH há cinco anos, foi nomeado consultor especial de Bernard Arnault, embora tenha sido destituído de qualquer função operacional. Rogers supervisionou o lançamento do 24S, inicialmente nomeado 24 Sèvres,  o endereço da loja de departamentos parisiense Le Bon Marché, que também faz parte do império da LVMH.
 
Como parte da nova estrutura de gestão, a LVMH nomeou Michael David como novo diretor de omnichannel; e Franck Le Moal, diretor de Tecnologia da Informação (TI) do grupo,  responsável pela equipe de parcerias digitais. Ambos se reportarão a Toni Belloni, CEO do grupo.

Em um movimento semelhante, Wendy Chan, diretora digital da Ásia-Pacífico, adicionará a supervisão da mídia local ao seu escopo e se reportará a Michael David também.
 
Em um anúncio interno disponibilizado para o FashionNetwork.com, a LVMH elogiou Rogers por ajudar a impulsionar o e-commerce em um percentual de dois dígitos na receita total; por embarcar em projetos ambiciosos e projetos de inteligência artificial e por construir relações com a comunidade de startups do meio ambiente.
 
Rogers irá trabalhar na startup de tecnologia baseada em Paris, Ledger.


A LVMH elogiou Ian Rogers por ajudar a melhorar o resultado de seu comércio eletrónico - Shutterstock

 
"Somos muito gratos pela contribuição de Ian e esperamos continuar a trabalhar com ele em sua função de consultor, incluindo na organização do Prêmio de Inovação LVMH. Ian nos ajudou a integrar mais profundamente o digital em nossas organizações com sensibilidade aos códigos do luxo", disse Bernard Arnault, presidente, CEO e acionista majoritário da LVMH.
 
No entanto, o mercado vê as mudanças como resultado do fraco desempenho do maior projeto independente de Internet do grupo, o 24S.  Embora tenha sido lançado com grande alarde pela LVMH, e ter conseguido iniciar no e-commerce várias das marcas mais prestigiadas do grupo, como a Louis Vuitton.

Desde o início, a política frequentemente restritiva de edição limitada do 24S fez com que a loja virtual parecesse desprovida da ampla seleção oferecida por rivais dinâmicos como YNAP, Matches ou MyTheresa. Além disso, sua política editorial online, que apresentava castings de ruas clássicas de Paris, era vista como estranha e desatualizada.

Na verdade, a falta de crescimento da 24S parecia apenas prejudicar a opinião de Arnault sobre os players online, incluindo a Amazon. Em uma reunião com analistas e mídia na sede da LVMH em janeiro de 2019, Arnault disse: "Todos estão perdendo dinheiro...Isso não é um grande sinal. E quanto maior forem, mais dinheiro perdem. Já nos pediram várias vezes que para participar desses negócios e eu sempre disse não".
 
"Eles utilizam a sua base de dados para conectar clientes a vendedores e levam um percentual, que os leva... a vender produtos falsificados e, portanto, de certa forma, a estarem ligados ao crime organizado, porque os sites que vendem produtos falsificados são financiados pelo crime organizado ou até mesmo pelo terrorismo", disse Arnault, o homem mais rico da Europa, que dependendo dos preços da bolsa de valores, ocasionalmente ultrapassa Jeff Bezos como o homem mais rico do planeta.

Copyright © 2021 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.