×
162
Fashion Jobs
CAEDU
Analista de Produtos Financeiros pl
Efetivo - CLT · São Paulo
PUMA
Key Account Manager
Efetivo - CLT · São Paulo
CAEDU
Analista de Controladoria pl
Efetivo - CLT · São Paulo
AMARO
Retail - HR Business Partner
Efetivo - CLT · São Paulo
VIVARA
Aprendiz Comercial - Shopping Cidade de São Paulo
Efetivo - CLT · São Paulo
VIVARA
Aprendiz Comercial - Center Shopping Uberlândia
Efetivo - CLT · Uberlândia
VIVARA
Aprendiz Comercial - Shopping Del Rey
Efetivo - CLT · Belo Horizonte
VIVARA
Aprendiz Comercial - Shopping Uberaba
Efetivo - CLT · Uberaba
AMARO
Compliance Analyst
Efetivo - CLT · SÃO PAULO
MARISOL
Assistente Administrativo i - Jurídico
Efetivo - CLT · Jaraguá do Sul
MARISOL
Analista de RH Pleno - Remuneração e Benefícios
Efetivo - CLT · Jaraguá do Sul
CAEDU
Analista de Processos sr
Efetivo - CLT · São Paulo
CAEDU
Aprendiz
Efetivo - CLT · Pindamonhangaba
MARISOL
Técnico de Suporte i - Infraestrutura
Efetivo - CLT · Jaraguá do Sul
YOUCOM
Assistente de Marketing | Youcom
Efetivo - CLT · Porto Alegre
CAEDU
Operador de Loja
Efetivo - CLT · São Paulo
AMARO
Assistente de Expansão e Finanças
Efetivo - CLT · São Paulo
AMARO
Erp Support Analyst
Efetivo - CLT · São Paulo
L'OREAL GROUP
Executivo de Contas Canal Indireto Curitiba
Efetivo - CLT · San Marcos
YOUCOM
Consultor de Vendas
Efetivo - CLT · Curitiba
AMARO
Assistente de Operações de RH
Efetivo - CLT · São Paulo
MARISOL
Consultor de Expansão - São Paulo pj
Efetivo - CLT · São Paulo
Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
3 de nov de 2020
Tempo de leitura
2 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Hugo Boss volta a gerar lucro graças ao comércio eletrônico e à China

Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
3 de nov de 2020

A gigante alemã da moda, Hugo Boss, retomou a rentabilidade no terceiro trimestre, após anunciar perdas no segundo, graças à recuperação dos negócios digitais e da China, mas a pandemia continua gerando incertezas.


Boss - primavera-verão 2020 - Moda Feminina - Milão - © PixelFormula


A receita trimestral da empresa caiu 24% em uma base com ajuste de moeda, para 533 milhões de euros, abaixo das previsões dos analistas. Mas, o lucro operacional foi de 15 milhões de euros, valor que superou as previsões. No entanto, ele continua inferior aos 83 milhões de euros do ano passado.
 
O foco da Hugo Boss na China e no e-commerce rendeu frutos:  as vendas na China continental aumentaram 27% durante o trimestre e as vendas eletrônicas saltaram 66%, uma vez que a empresa ampliou a venda online à 24 novos mercados entre junho e agosto.

"Com o apoio da migração da demanda do consumidor para o digital, as vendas no site hugoboss.com e as ofertas geridas em outros sites parceiros registraram fortes melhorias tanto no tráfego como nas taxas de conversão", explicou a empresa.

O período entre julho e setembro representou para a empresa o décimo segundo trimestre consecutivo com “crescimento expressivo de dois dígitos nas vendas eletrônicas”.
 
Embora as lojas físicas continuem sendo um desafio, a empresa se mostrou otimista. Agora que a maioria de suas lojas próprias estão funcionando novamente, o varejo do grupo registrou "resultados significativamente mais sólidos" em comparação com o primeiro semestre do ano, e a receita da venda no varejo diminuiu "apenas" 20% com o ajuste da moeda.

Mas, nem tudo foi positivo neste trimestre. Embora a demanda local nos principais mercados tenha aumentado significativamente em relação ao trimestre anterior, as vendas para turistas continuam sofrendo com as restrições às viagens internacionais.

As vendas caíram 21% na Europa, apesar dos sinais encorajadores de recuperação da demanda nos principais mercados, como Reino Unido e França. A queda do turismo, que teve um grande impacto em muitas empresas de luxo, também teve um grande peso na Hugo Boss.

Assim como outras empresas de todos os níveis de preço, o grupo tem ajustado a sua oferta para se adaptar à nova normalidade, se concentrando mais em moda casual, algo que já havia começado a fazer antes da pandemia. Segundo a empresa, a marca Hugo, mais direcionada para os jovens, viu as vendas de roupa casual caírem apenas meio dígito durante o trimestre.

Copyright © 2021 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.