×
Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
22 de out. de 2021
Tempo de leitura
4 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Heron Preston for Calvin Klein: Season 2, respirável mas talvez não financiável

Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
22 de out. de 2021

Questões suaves a um designer de fala mansa sentado em um sofá branco macio sobre um tapete macio, mostrando uma coleção centrada em temas leves, na revelação da segunda colaboração de Heron Preston para a Calvin Klein (CK) no dia 18 de outubro.


Imagem heroica da campanha Heron Preston for Calvin Klein: Season 2 - Foto: Ricky Saiz


"Esta estação é sobre camadas... e materiais mais quentes", opina Preston, ao mostrar quatro séries de looks em um cenário feito para parecer um sótão do centro da cidade em um Zoom com jornalistas, embargado até hoje. A marca lançou também uma nova campanha publicitária para a Heron Preston for Calvin Klein: Season 2, incluindo Savion Glover, um ás bailarino de sapateado, movendo-se com uma combinação de sarja caramelo das últimas ideias de Heron para a Calvin.
 
Uma vez que a Calvin Klein já não aparece nas passarelas desde setembro de 2018, esta colaboração é o que mais se aproxima vinda de um designer que apresenta novas ideias da Calvin Klein.

Com o seu sorriso pronto, Preston exaltou casacos forrados de lã "para que se sintam como luvas de seda"; cuidadosamente apontou sweats cortadas no meio do peito e orgulhosamente introduziu calças de carpinteiro com costuras centrais à frente e atrás; laços inclinados nas costas; zíper e botões revestidos de borracha.
 
"Fizemos um milhão de encaixes para enfatizar a semelhança com uma caixa", teletransportou-se Preston, enquanto fazia passear os editores através da coleção exposta e neutra em termos de gênero, a qual classificou de "meta-grupos" de modelos. Recordando a sua juventude em São Francisco, quando o próprio voltou a usar T-shirts de algodão estilo waffle, agora que o clima se tornou um pouco outonal.


O bailarino americano de sapateado, Savion Glover, na campanha publicitária Heron Preston for Calvin Klein: Season 2 - Foto: Ricky Saiz


Uma coleção também sustentável, visto que muitos looks em jeans foram feitos da mistura de poli (tereftalato de etileno) de garrafas recicladas.
 
"Concebemos esta coleção da cabeça aos pés – e até atualizamos as meias com uma lã volumosa – que pode ser usada dentro de casa", insistiu Preston de 38 anos, um DJ de profissão que continua a desenhar a sua própria marca dentro do New Guards Group.
 
Um dos melhores looks são blusas em alpaca felpuda que, mais uma vez, eram constituídas de uma mistura reciclada.  Nem o designer teve medo de correr alguns riscos na paleta de cores, exibindo coletes amarelo pálido, tops e calções de motociclista.
 
No entanto, o que mais chamou a atenção foi a relativa simplicidade do conceito. Sublinhada pela forma como Heron ficou excitado com as suas blusas de capuz de dupla camada – unidas para dias mais frios – e a faixa elástica marginalmente mais larga usada em boxers para homem como o ator Marky Mark, e em calcinhas para mulher.


Imagem da coleção para o lookbook - Foto: Cortesia da Calvin Klein


Apesar da modesta novidade da coleção, os gestores da marca têm claramente confiança nesta colaboração. Mesmo permitindo que Preston esmague o logotipo e o coloque numa faixa laranja, como orgulhosamente salientou, sentado ao lado de Jacob Jordan, diretor global comercial da CK, diretor de Estratégia de Produtos e Empreendimentos de Novos Produtos.
 
"Tem sido uma grande parceria com Heron", insistiu Jordan, mesmo quando acrescentou, "mas gosto da ideia de outras pessoas contarem a nossa história através dos seus olhos. Estamos a trabalhar nalgumas coisas, mas vai ter de esperar para ver".

Ao pedido para definir o ADN da Calvin Klein em três palavras, Preston respondeu: "Confortável sustentável e er; um, e er, e vamos ver qual é a terceira... intemporal", demorando 10 segundos a encontrar a palavra final.
 
"Respirabilidade" e "quebrar limites", foram palavras que Preston enfatizou como chaves para esta coleção, que pelo seu preço é dirigida aos consumidores CK.


Imagem da coleção para o lookbook - Foto: Cortesia da Calvin Klein


Além disso, o Zoom amador e a modesta novidade do vestuário suscitam mais uma vez a questão: qual é exatamente a estratégia de gestão para Calvin Klein? Houve uma época em que Calvin e o seu sucessor imediato brasileiro Francisco Costa encenaram desfiles altamente influentes. Podem ter vendido em apenas algumas boutiques, mas definiram definitivamente uma agenda de moda, e ajudaram a queimar a reputação da última marca minimalista da América.
 
Esta abordagem desmoronou-se com Raf Simons, aquando dos seus planos ambiciosos de rivalizar com as principais passarelas europeias, com uma rede de flagships globais; desmoronou-se quando os seus designs simplesmente não conseguiram encontrar um público.
 
No entanto, ter se recusado a nomear um sucessor e abandonado as passarelas de Nova York; depois entregar as rédeas de uma grande coleção de moda americana a comerciantes e compradores, parece francamente algo como reductio ad absurdum.
 

Copyright © 2021 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.