Hermès lança loja online na China

Hermès abre a sua primeira flagship digital na China. A casa de luxo parisiense, que renovou e remodelou completamente a sua loja de e-commerce, inaugurou a sua nova plataforma em abril na Europa, depois de testar no Canadá e nos Estados Unidos em 2017. Agora, a marca aposta na China, onde até agora nunca havia sido vendida online.
 
A página inicial do site na China - hermes.cn

O site foi lançado em 17 de outubro e apresenta uma oferta ampliada de acessórios e prêt-à-porter, tal como em outros países. A Hermès oferece ao público local a versão do seu site em chinês, propondo também uma versão em inglês.
 
Por enquanto, a marca não estabeleceu parcerias com distribuidores locais, como os gigantes Alibaba e JD.com, com as suas respectivas plataformas dedicadas ao luxo Toplife e a seção Luxury Pavilion no Tmall, que já atraíram muitas marcas internacionais. A Hermès quer permanecer vigilante sobre a sua imagem e manter controle total. Mas, está bem ciente das dificuldades e especificidades do mercado chinês e não exclui a hipótese de, no futuro, se aliar a um parceiro local.
 
Face à ascensão do mercado chinês e do e-commerce para o luxo, a casa francesa não poderia prolongar por muito tempo a sua ausência nesta frente. Especialmente desde que a renovação da sua loja virtual ofereceu resultados muito promissores no último ano. Esta foi capaz de conquistar novos clientes e a emblemática flagship digital tornou-se “a quarta loja do mundo em termos de vendas", como confidenciou recentemente ao Echos Axel Dumas, gestor do grupo.

Além disso, a internet tornou-se a porta de entrada para conquistar a classe média chinesa, já estimada em mais de 360 milhões de pessoas, número que deve duplicar até 2020. Fora das megacidades Xangai, Pequim, Guangzhou ou Shenzen, onde as marcas têm lojas, de que forma intercetar, se não através da internet, os potenciais clientes de quase 260 cidades, que contam com mais de um milhão de habitantes na China? E, além disso, o cliente que viaja, sabendo que os chineses respondem por 32% das vendas globais do luxo. Esta proporção deve chegar aos 40% até 2024, segundo o Boston Consulting Group, para o qual estes consumidores contribuirão com 70% para o crescimento do luxo.


A loja inaugurada na China em setembro - Hermès © Kyle Yu

A Hermès abriu o seu primeiro endereço chinês em Pequim, em 1997. Desde então, a marca expandiu a sua rede até atingir as 25 lojas no país com a sua última inauguração no início de setembro, um espaço de 255 metros quadrados na cidade de Xi'an, situada no noroeste do país.

No primeiro semestre, a marca alcançou na Ásia-Pacífico (à exceção do Japão) um aumento de 14,9% a taxas de câmbio constantes, continuando "um desempenho notável, com uma dinâmica favorável na China continental e em toda a região". Na China, a marca francesa continua apresentando um crescimento de dois dígitos, apesar da desaceleração econômica.

Traduzido por Estela Ataíde

Copyright © 2018 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

Luxo - AcessóriosDistribuiçãoNegócios
ASSINE A NOSSA NEWSLETTER