×
Por
AFP
Publicado em
9 de fev. de 2017
Tempo de leitura
2 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Hermès, "ambiciosa" quanto ao futuro apesar de um contexto incerto

Por
AFP
Publicado em
9 de fev. de 2017

O grupo francês de luxo Hermès fechou 2016 com vendas recordes, passando pela primeira vez a barreira dos cinco bilhões de euros confirmando que sua rentabilidade deve ser ligeiramente superior àquela de 2015.

A atividade marroquinaria-selaria avança 14% sobre o ano de 2016. - DR


O fabricante de artigos de couro da parisiense rue Faubourg Saint-Honoré entregou um volume anual de negócios de 5.2 bilhões de euros (16.22 bilhões de reais), em especial graças ao sucesso da marroquinaria e a um crescimento em todas as regiões geográficas.
 
Essas vendas estão em linha com o consenso do fornecedor de serviços financeiros Factset, que contava com 5.19 bilhões de euros de volume de negócios.

"Nós realizamos ainda uma vez um desempenho superior àquele do setor. Ultrapassamos pela primeira vez os cinco bilhões e este avanço é sadio, pois trata-se basicamente de crescimento orgânico, ou seja, com poucos efeitos de preços e base", disse entusiasmado quarta-feira o presidente Axel Dumas durante uma conferência telefônica.
 
Por atividades, a marroquinaria e a selaria, pilar do grupo, continua bem e vai crescendo 14% no ano com 2.6 bilhões de euros (8.11 bilhões de reais) de vendas. "O conjunto dos nossos modelos (de bolsas) assistiu a um sucesso, registramos um crescimento superior ao nosso crescimento usual da marroquinaria", destacou o dirigente.
 
Por regiões, "as vendas avançaram em todas as regiões do mundo, particularmente em nossas lojas próprias. O Japão registra desempenhos excepcionais, apesar do ganho de musculatura do iene em curso no ano, a Ásia dá continuidade ao seu belo avanço e a América também, apesar de um contexto contrastante", resumiu Axel Dumas.
 
Ele explica que "a França resistiu bem, mesmo que globalmente ela siga impactada por fluxos turísticos mais fracos ligados aos efeitos pós-atentados". O grupo, que publicará a 22 de março seus resultados anuais, confirma que sua rentabilidade operacional para o ano transcorrido "deve ser ligeiramente superior àquela do ano de 2015".
 
No que diz respeito a 2017, a Hermès não fornece perspectivas numéricas, mas "confirma" um objetivo de avanço do volume de negócios "com taxas constantes ambiciosas". "Continuo um paranóico otimista, estou bem otimista graças aos fundamentos da Hermès que são bons". Em um período de incertezas, é difícil também não prestar atenção e não ser prudente face a este ambiente, mas eu acho que conseguiremos nos sair melhor que o setor", acrescentou Axel Dumas.

Copyright © AFP. Todos os direitos reservados. A Reedição ou a retransmissão dos conteúdos desta página está expressamente proibida sem a aprovação escrita da AFP.