Henkel reduz perspectiva anual e culpa unidade de beleza

A empresa alemã de bens de consumo, Henkel, anunciou na terça-feira (13) que reduziu suas estimativas de vendas e lucro para o ano, devido ao desempenho decepcionante de sua unidade de beleza e ao impacto da queda na produção industrial em seu negócio de adesivos. As ações da Henkel caíram 8,2% no pré-mercado, após o anúncio.


A fabricante da marca de cuidados para os cabelos Schwarzkopf viu suas vendas caírem 0,4% no segundo trimestre, para 5,121 bilhões de euros. - Schwartzkopf

A fabricante da marca de cuidados para os cabelos, Schwarzkopf, viu suas vendas caírem 0,4% no segundo trimestre, para 5,121 bilhões de euros, enquanto o lucro por ação caiu 9,5%, para 1,43 euros, abaixo da média das previsões dos analistas.

O CEO da companhia, Hans van Bylen, disse que a Henkel foi atingida por uma queda significativa na demanda em setores-chave, como o automotivo, e que não espera que a demanda industrial volte a crescer no segundo semestre do ano.

As vendas na unidade de adesivos, que representam quase metade do total de vendas da empresa, caíram 1,2%, enquanto as vendas de produtos de beleza caíram 2,4%, principalmente na Europa Ocidental e na América do Norte, e afetadas por problemas de estoque na China.

A Henkel tem registrado desempenho inferior ao de rivais como Procter & Gamble Co (P&G) e Unilever nos últimos anos. Em janeiro, a empresa alertou que o lucro iria diminuir em 2019, devido ao aumento no investimento em marcas e tecnologia digital em uma tentativa para retomar o crescimento.

A Henkel informou que espera agora para o ano fiscal de 2019 um crescimento orgânico nas vendas entre zero e 2%, excluindo o impacto de moedas e aquisições, abaixo dos 2-4% anteriores, com um crescimento de -1 a 1% na unidade de adesivos e de 0 a -2% na divisão de beleza. A divisão de lavanderia e home care deve crescer entre 2 e 4%.

Traduzido por Novello Dariella

© Thomson Reuters 2019 All rights reserved.

CosméticaEstéticaNegócios
ASSINE A NOSSA NEWSLETTER