×
879
Fashion Jobs
keyboard_arrow_left
keyboard_arrow_right

H&M se recupera e registra aumento de 4% nas vendas no terceiro trimestre

Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
today 17 de set de 2018
Tempo de leitura
access_time 2 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

De 1º de junho a 31 de agosto, o grupo sueco conseguiu se recuperar. Depois de registrar vendas estagnadas no segundo trimestre, ele gerou 64,8 bilhões de coroas, incluindo IVA (5,9 bilhões de euros) no terceiro trimestre, um aumento de 4% em moedas locais, e de 9% em coroas suecas.


Coleção de outono da H&M - H&M


Excluindo o IVA, o volume de negócios do Grupo H&M aumentou para 55,825 bilhões de coroas suecas (5,12 mil milhões de euros) no terceiro trimestre, em comparação com 51,229 bilhões de euros no mesmo período do ano anterior (+ 8,9%). No entanto, é importante ressaltar que a empresa não divulga suas vendas em base comparável.

Sucinta nas explicações, a empresa-mãe das marcas H&M, Monki, Cos, entre outras, está colhendo os primeiros frutos em seu processo de transformação necessário em alguns mercados, mas continua enfrentando resultados fracos particularmente nos Estados Unidos, na França, Itália e Bélgica, "por causa dos problemas que surgiram durante a implementação do novo sistema de logística na primavera". Essa nova ferramenta permitirá no futuro criar uma cadeia de suprimentos mais eficiente e rápida, combinando mais vendas online e redes de lojas.

Estes resultados do terceiro trimestre superaram as expectativas dos analistas, que era de um ligeiro aumento de 1,9%, e ajudaram a elevar o preço das ações da empresa na Bolsa de Valores de Estocolmo em mais de 10% na manhã de 17 de setembro.

O grupo, que continua inovando e diversificando, lançou nos últimos dois anos novos conceitos (Arket, Afound e Nyden), que devem, como muitos dos seus concorrentes, se adaptar às mudanças do setor varejista. E esta evolução não é feita sem obstáculos. Em março, a H&M informou que teve um aumento significativo em seus estoques (3,4 bilhões de euros em vestuário, + 7% em relação a 2017), o que provocou mais campanhas de redução de preços na primavera.

A empresa, que conta com 4.800 lojas, irá publicará um relatório mais detalhado dos resultados dos primeiros nove meses do ano fiscal de 2018 em 27 de setembro. A situação dos lucros será observada para prever se alguma recuperação ocorrerá ou não.

Copyright © 2019 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.