×
Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
30 de jan. de 2020
Tempo de leitura
3 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

H&M nomeia Helena Helmersson como nova CEO

Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
30 de jan. de 2020

Os lucros trimestrais da H&M são sempre grandes notícias, mas o relatório desta quinta-feira (30) foi ofuscado pelo anúncio da nomeação de um novo CEO. Helena Helmersson substitui o CEO de longa data Karl-Johan Persson, que se tornará presidente da empresa no lugar de seu pai, Stefan Persson, que ocupou o cargo durante 20 anos.


Helena Helmersson, a nova CEO - H&M Group


Este é um momento decisivo para a empresa, que é uma das maiores varejistas de moda do mundo e que, durante o mandato do presidente, passou de uma empresa de uma marca só para proprietária de um total de nove marcas.
 
Embora a mudança de presidente vá ocorrer dentro de alguns meses, Helmersson, que é veterana da H&M e foi diretora de operações durante um ano, assume imediatamente o seu novo cargo.

Nascida em 1973, Helmersson começou na empresa em 1997 como economista no departamento de compras da H&M e ocupou vários cargos nas áreas de compras e produção. Foi diretora de sustentabilidade durante cinco anos e depois diretora de produção em Hong Kong.
 
"É uma mudança natural, depois de 20 anos, passar para Karl-Johan, que é CEO há mais de 10 anos”, afirmou o presidente cessante, acrescentando: “Continuarei sendo um proprietário comprometido, como até o momento, mas de uma posição diferente. Além disso, o momento é favorável para fazer esta mudança, já que melhoramos gradualmente os lucros e temos uma posição forte com muitas marcas bem estabelecidas, milhões de clientes em todo o mundo e uma boa solidez financeira." 

"Karl-Johan e a equipe fizeram um trabalho incrível para assegurar o futuro do grupo H&M. Estou plenamente convencido de que ele também fará um excelente trabalho como presidente. Sinto-me confiante em entregar o cargo de CEO a Helena, uma experiente e grande líder que encarna os nossos valores. Helena continuará trabalhando no plano que adotamos para 2020 e além.”
 
A empresa revelou também que os seus lucros antes de impostos no quarto trimestre, até ao final de novembro, aumentaram para 5,4 bilhões de coroas suecas (510,3 milhões de euros / 562,2 milhões de dólares), ante 4,35 bilhões de coroas suecas. Significativamente mais do que os 4,78 bilhões de coroas suecas que os analistas previam. O lucro do grupo depois de impostos aumentou de 3,543 bilhões de coroas suecas para 4,212 bilhões de coroas suecas.
 
Isto se deve ao aumento das vendas líquidas de 9%, para 61.694 bilhões de coroas suecas. Em moeda local, as vendas líquidas aumentaram 5% e, no período desde o final do trimestre, elas também aumentaram 5% em moedas locais.

A empresa disse que o custo das reduções relativas às vendas deve cair em torno de 0,5 a um ponto percentual no primeiro trimestre. E acrescentou que "as lojas físicas e online estão se integrando cada vez mais com a otimização contínua do portfólio de lojas".

Os projetos deste ano incluirão tanto espaços físicos como lojas na internet. Em 2020, haverá a  abertura de cerca de 200 novas lojas, principalmente nos mercados em crescimento, mas também está previsto o fechamento de cerca de 175 lojas, principalmente em mercados estabelecidos. Espera-se que a Austrália se torne um novo mercado online para a varejista sueca no segundo semestre de 2020 e a H&M será lançada na plataforma de comércio eletrónico SSG.COM na Coreia do Sul este ano.

Copyright © 2021 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.