H&M: vendas em alta de 12% em nove meses

A gigante sueca anuncia ter realizado 14,05 bilhões de euros em vendas no período compreendido entre dezembro de 2014 e agosto de 2015. Uma alta de 22% em coroas e de 12% em moedas locais, permitindo uma alta equivalente ao lucro líquido no período.

Modern Essentials selected by David Beckham - H&M

O grupo aponta assim ter gerado 1,6 bilhão de euros de lucro nesses nove meses, exibindo um avanço de 12%. "O lucro desenvolveu-se bem ao longo dos nove primeiros meses do ano, mesmo que o lucro do 3.º trimestre tenha sido afetado negativamente pela alta dos custos de compra em razão de um dólar forte", explica o presidente e diretor executivo Karl-Johan Persson.
 
Mesmo que ela busque se desenvolver na África, a H&M fornece a si mesma principalmente na Ásia, onde dominam as trocas comerciais em dólares. O lucro líquido do 3.º trimestre, encerrado nos fins de agosto, ficou assim estável em 564 milhões de euros (53,400 bilhões de coroas), em avanço de 17% em comparação com o 3.º trimestre de 2013/14.
 
Uma alta que repousa como sempre, em grande parte, na ampliação da cadeia das suas diferentes marcas. À frente do grupo estão H&M, COS, &Other Stories, Weekday, Monki e Cheap Monday, sendo que a companhia contava nos fins de agosto com 3.675 lojas face a 3.341 um ano mais cedo.
 
O trimestre ainda mostrou a popularidade das diferentes marcas do grupo (H&M, mas também COS, Monki ou & Other Stories) no mundo, via esta expansão que se segue em "um ritmo elevado". Em moedas locais e IVA incluso, o grupo viu fortes crescimentos das vendas nos Estados Unidos (22%) e na China (21%).
 
A H&M está desenvolvendo-se on-line, com nove novos países previstos para 2016 (Japão e oito na Europa, entre eles Luxemburgo), mas também acrescentou 240 lojas em todo o mundo durante esses três meses, "ou seja, quase três por dia", destacou a companhia. O único fator negativo teria sido um "um clima excepcionalmente quente" na Europa durante o mês de agosto, "mas, quando ele regressou ao normal em setembro, as vendas voltaram a decolar", segundo o grupo.
 
Durante o outono, a H&M deve chegar à Índia, na capital Nova Délhi, e na África do Sul, na cidade do Cabo. "Como sempre, examinamos nossa oferta aos consumidores em cada mercado e acompanhamos de perto o mercado para fazer com que seja oferecida a melhor combinação de moda, de qualidade, de preço e de durabilidade", afirmou Karl-Johan Persson.
 
O grupo realizou no seu exercício anterior um volume de negócios de 19 bilhões de euros (+14%). No mesmo período, ele atingiu os 2,150 bilhões de euros em lucros, exibindo uma alta de 17%.

Copyright © 2018 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

Moda - Pronto-a-vestirDistribuição
ASSINE A NOSSA NEWSLETTER