H&M racionaliza redes de varejo

Para se adequar a um tempo de crise no consumo, o grupo H&M está a proceder a uma racionalização das suas redes de varejo, o que contempla relocalizações, ampliações e encerramentos de lojas, pondo assim um ponto final no modelo de expansão contínua e permanente até agora adotado.


“Estamos revendo a nossa carteira de lojas de modo a garantir que temos um ótimo mix de marcas, espaços e pontos de venda”. afirmou Karl-Johan Persson, o presidente do grupo, que no ano passado atingiu um volume de negócios de 23,6 mil milhões de euros (crescimento de 7% relativamente a 2015) e uma quebra de 11% nos lucros.

A rede global de retalho das marcas da H&M (que inclui as insígnias Cos, Cheap Monday, & Other Stories, Monky e Weekday) compreende 4.300 lojas. Para além dos reajustamentos, a gigante sueca da distribuição prevê abrir ao longo deste ano 430 lojas e entrar em cinco novos mercados: Cazaquistão, Colômbia, Islândia, Vietname e Georgia.

Copyright © Jornal T. Todos os direitos reservados.

Moda - Pronto-a-vestirDistribuição
ASSINE A NOSSA NEWSLETTER