×
684
Fashion Jobs

Guerlain: Véronique Courtois substitui Laurent Boillot à frente da marca

Publicado em
today 7 de out de 2019
Tempo de leitura
access_time 2 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Atualmente diretora-geral de marca na Parfums Christian Dior e membro do comitês executivo, Véronique Courtois, de 49 anos, irá se tornar CEO da Guerlain a partir de 1 de novembro.


Véronique Courtois vai assumir a liderança da Guerlain - LVMH


Courtois passou oito anos na Shiseido antes de fazer carreira na Guerlain, ocupando durante dez anos cargos de crescente responsabilidade, antes de se tornar diretora de marketing. Em 2010, ingressou na Dior Couture como diretora de marketing e há sete anos, em 2012, foi nomeada diretora-geral de marca da Parfums Christian Dior. O nome do seu sucessor na Parfums Christian Dior será anunciado posteriormente.
 
O atual CEO da Guerlain, Laurent Boillot, irá assumir no início de 2020 a liderança da marca de conhaque Hennessy e será substituído por Véronique Courtois, que vem dos perfumes Christian Dior, uma reorganização interna da gigante de luxo LVMH da qual a AFP teve conhecimento na quarta-feira.

Laurent Boillot, de 55 anos, irá ingressar na Hennessy em novembro e trabalhará inicialmente ao lado de Bernard Peillon, atual presidente da Hennessy, que substituirá no início de 2020, além de integrar os comitês executivo e operacional da Moët Hennessy, que reúne os champanhes, bebidas espirituosas e vinhos do grupo LVMH.
 
Por seu lado, após ter passado 29 anos no grupo LVMH, 13 dos quais à frente da marca de conhaque Hennessy, Bernard Peillon, de 63 anos, irá reformar-se a 31 de julho de 2020.

Em perfumes e cosméticos, que geraram vendas de 6,09 bilhões de euros em 2018, o grupo soma 13 maisons, incluindo os perfumes Christian Dior, Givenchy, Guerlain ou as jovens marcas Benefit Cosmetics, Fresh, Make Up For Ever ou Fenty Beauty by Rihanna.
 
O grupo LVMH é detentor, no domínio dos vinhos e bebidas espirituosas, de 26 maisons (como Hennessy, Moët&Chandon, Veuve Clicquot, Ruinart, Glenmorangie...), que no ano passado geraram um volume de negócios de 5,1 bilhões de euros.
 
Com AFP

Copyright © AFP. Todos os direitos reservados. A Reedição ou a retransmissão dos conteúdos desta página está expressamente proibida sem a aprovação escrita da AFP.