×
Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
17 de fev. de 2021
Tempo de leitura
3 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Granado mostrou boa resistência à crise

Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
17 de fev. de 2021

Em 2020, a marca brasileira de beleza Granado completou 150 anos. Uma data que foi marcada pelo lançamento de um livro publicado pela Assouline e por uma exposição no Museu Histórico Nacional do Rio de Janeiro*. Mas este aniversário foi manchado pela pandemia de Covid-19, que abalou os projetos da empresa, que é também proprietária da marca Phebo, apesar de ter alcançado um crescimento de 4% em 2020, impulsionado pelos revendedores que se mantiveram abertos e pelas vendas online.


Granado - DR


“Apesar da crise, crescemos 4% em 2020 (cerca de 120 milhões de dólares em faturamento). Registramos crescimento de 12% nas vendas de atacado e queda de 23% no varejo. É preciso notar que 25% do nosso faturamento é proveniente das lojas, que ficaram fechadas de março a agosto. Nesse período, as vendas online aumentaram 400% e, para atender com mais rapidez os nossos clientes, adotamos sistemas como retirada em loja e entrega expressa no mesmo dia utilizando o estoque das lojas. Vimos um crescimento significativo em nossos revendedores em categorias de itens essenciais, como sabonetes e sabonetes líquidos, bem como em cuidados, como a linha Pink para pés e mãos", explica Sissi Freeman, diretora de marketing da Granado, que também é filha de Christopher Freeman, o presidente do grupo de cosméticos, cujo acionista minoritária é a empresa espanhola Puig.

No Brasil, o coronavírus já matou mais de 240 mil pessoas. O país, que é um dos mais atingidos pela crise da saúde e agora enfrenta o surgimento de uma nova variante, tem tomado pouquíssimas medidas de contenção. “As ações das autoridades foram tomadas com base nas taxas de infecção de cada estado e a critério das prefeituras. Tivemos pouco confinamento, mas desde agosto, quando reabrimos as lojas, a grande maioria dos estados optou por uma redução do horário de funcionamento e medidas como redução do número de clientes nas lojas e uso obrigatório de máscaras (…)”, explica Sissi Freeman.

A Granado conta com 1.500 revendedores no Brasil (supermercados, farmácias, perfumarias), 75 lojas Granado e cinco lojas Phebo. A marca Granado também está presente na França por meio de três lojas parisienses e da Sephora. 

“Devido à pandemia, tivemos de suspender temporariamente alguns projetos, como a expansão internacional, visto que viajar neste momento se tornou difícil. A estratégia, no entanto, está mantida e pretendemos expandir até 2022 com inaugurações em cidades estratégicas como Lisboa. Além disso, continuamos investindo no e-commerce, que também cresceu muito e nosso site europeu já faz envios para os Estados Unidos”, afirma Freeman. 

De 15 a 23 de março, a Granado terá uma pop-up na Galeries Lafayette Champs-Élysées, em Paris. No local será possível conhecer suas coleções de perfumes e personalizar os frascos.

Para 2021, a empresa brasileira espera um crescimento de 15%. “No Brasil, planejamos abrir mais oito lojas próprias, incluindo uma flagship Granado em Ipanema e uma loja Phebo no bairro do Jardins, em São Paulo. Na Europa, estamos fortemente comprometidos com nosso crescimento na distribuição seletiva e esperamos inaugurar pelo menos mais um novo ponto de venda até o final do ano”, conclui Sissi Freeman.


 *Devido à crise sanitária, a exposição se transformou em um evento digital. 

Copyright © 2021 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.