×
Por
EFE
Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
30 de nov. de 2021
Tempo de leitura
2 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Giorgio Armani é condecorado "Cavaliere" da Itália

Por
EFE
Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
30 de nov. de 2021

O designer de moda Giorgio Armani foi condecorado como "Cavaliere di Gran Croce dell'Ordine al Merito della Repubblica Italiana"  a primeira e mais importante das ordens honoríficas italianas  após uma trajetória de 47 anos, que fez do designer um dos mais renomados do mundo.


O designer Giorgio Armani recebe, em Roma, a mais alta condecoração da Itália pelas mãos do Presidente da República, Sergio Mattarella - EFE


O Chefe de Estado, Sergio Mattarella, grão-mestre da Ordem com sede em Roma, entregou pessoalmente a insígnia a Giorgio Armani, de 87 anos, no palácio romano del Quirinale (antigo palácio papal do século 16 e atual residência do Presidente da República), segundo um comunicado oficial.

O designer e empresário de Placência, que fundou a maison homônima em 1974, recebeu o título de "Cavaliere" com placa de insígnia de ouro, decorada com o Grande-Cordão, como muitas outras personalidades italianas de grande percurso nacional e internacional.

Esta condecoração, instituída em 1951, é a mais elevada de Itália e reconhece os serviços prestados e "a bondade dada à Nação no campo da literatura, das artes, da economia ou do desempenho de cargos públicos", informou o comunicado. É também premiada por atividades sociais, filantrópicas e humanitárias, e por serviços extraordinários em carreiras civis e militares.
 
Giorgio Armani, um dos designer de moda mais bem sucedidos do mundo, confessou que este reconhecimento é "especialmente importante" para ele porque foi concedido por decreto do Presidente da República Sergio Mattarella, que descreveu como "um homem de imensa coragem, grande abertura e bondade".
 
"Tenho orgulho de representar Itália no mundo e de receber esta prestigiosa condecoração de suas mãos em nome de todo o país", disse Armani ao Chefe de Estado, que deixará o cargo em fevereiro próximo, após sete anos de serviço.

© EFE 2022. Está expressamente proibida a redistribuição e a retransmissão do todo ou parte dos conteúdos dos serviços Efe, sem prévio e expresso consentimento da Agência EFE S.A.