Gigantes do varejo americano caem no ranking mundial dos maiores varejistas, enquanto marcas de fast fashion e roupas esportivas sobem

O ranking "Global Powers of Retailing" da Deloitte de 2018, que lista os 250 maiores varejistas globais, mostra que os gigantes de varejo americano estão perdendo seu controle no mercado internacional, enquanto o comércio eletrônico, as marcas europeias de fast fashion e roupas esportivas estão ganhando terreno.


A Gap está entre as grandes marcas americanas que caíram no ranking este ano, enquanto as marcas de roupas esportivas e activewear seguem em ascensão. - Instagram: @gap

As grandes lojas de departamento dos Estados Unidos estão entre as que caíram no ranking deste ano: a Macy's caiu duas posições para a 37ª, enquanto a Sears caiu da 39ª, em 2017, para 45ª. A American Eagle Outfitters e a Abercrombie & Fitch, que já foram poderosas um dia, sequer constam no ranking dos 250 melhores varejistas globais.
 
A Gap, que até pouco tempo atrás era a maior empresa de moda do mundo, também foi ultrapassada pelo grupo japonês Fast Retailing, a empresa-mãe da Uniqlo, que a derrubou para o 61º lugar.

O ranking de 2018 mostra um forte progresso para as principais marcas européias de fast fashion, como a H&M, que este ano ultrapassou a Sears para ocupar o 39º lugar, e a Inditex, que agora está no 38º lugar.
 
A Nordstrom conseguiu escalar três pontos para o 65º lugar, ultrapassou o varejista britânico Marks & Spencer, e a L Brands subiu do 78º lugar em 2017 para o 76º este ano. A Kohl's também conseguiu manter seu 52º lugar de 2017 por mais um ano.
 
O maior vencedor de 2018, no entanto, deve ter sido a cadeia de lojas de departamento canadense Hudson's Bay, que subiu do 114º lugar no ano passado para o 87º este ano.
 
A Nike também conseguiu um aumento sólido, subindo 14 posições para a 109ª.  O ranking mostrou progressos geralmente positivos para marcas de roupas esportivas, com a ascendência de Dick's Sporting Goods, Foot Locker e Decathlon.
 
No que se tornou um resultado um pouco previsível, os varejistas online pure-player também tiveram bom desempenho. A Amazon consolidou seu lugar entre os Top 10 este ano, subindo quatro posições para o 6º lugar, enquanto a chinesa JD.com subiu oito posições para o 28º lugar.
 
O relatório da Deloitte confirma algumas das movimentações mais notáveis do varejo, que vêm agitando o setor. Conforme podemos observar pelo ranking, diante da oposição implacável dos varejistas online, shoppings, grandes lojas de departamentos e outros varejistas físicos tradicionais estão cada vez mais pressionados a diversificar sua oferta e seguir a nova tendência de varejo experiencial para atrair clientes em suas lojas.
 
A categoria de roupas esportivas e activewear, por outro lado, está aumentando cada vez mais em diversas marcas, como a Amazon, e a marca britânica de lingerie Ann Summers que, nos últimos meses, lançou algumas coleções na tentativa de lucrar com o mercado de fitness.
 
O ranking "Global Powers of Retailing" da Deloitte foi elaborado a partir dos dados das vendas do varejo de 2016.

Traduzido por Novello Dariella

Copyright © 2018 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

Moda - Pronto-a-vestirModa - AcessóriosModa - CalçadosEsporteDistribuiçãoNegócios
ASSINE A NOSSA NEWSLETTER