×
Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
21 de out de 2020
Tempo de leitura
2 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Gap planeja deixar continente europeu em 2021

Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
21 de out de 2020

A pandemia mundial acelera o declínio da gigante americana Gap, em dificuldades no mercado europeu já há alguns anos. O grupo de moda (Gap, Banana Republic, Old Navy, Athleta) anunciou através de um comunicado que pretende encerrar as suas atividades no Velho Continente, para tentar permanecer presente apenas através de franquias. O fechamento de todas as suas lojas de marca poderá, portanto, acontecer no segundo trimestre de 2021 onde possui filiais, ou seja, França, Reino Unido, Irlanda e Itália, o que corresponde a um total de 129 lojas, incluindo cerca de 80 localizadas no Reino Unido (de acordo com um documento do grupo lançado em agosto). A decisão também afeta o espaço logístico do grupo na Europa, localizado em Rugby, Inglaterra.


Loja Gap em Paris - Google Street View


A empresa quer mudar o seu modelo de negócios na Europa, recorrendo a potenciais parceiros para franquias, e  está traçando uma estratégia de transferência de algumas das suas atividades para terceiros para manter o nome Gap deste lado do Atlântico. A marca já opera em franchise em 35 países em todo o mundo (400 lojas). Mas, diante do contexto atual do mercado de moda e as aquisições e os cortes severos, falta saber se candidatos sólidos estarão realmente interessados.
 
“Às equipes que mantêm vivas as nossas atividades europeias, gostaria de lhes agradecer a compreensão durante este processo e expressar a minha gratidão em nome da equipe de direção”, declarou Mark Breitbart, líder da Gap, quando informou os funcionários da decisão por videoconferência no dia 20 de outubro.

Na França, por exemplo, ainda existem 19 pontos de venda, dez dos quais localizados em Paris. Quase 500 funcionários trabalham para a subsidiária francesa, de acordo com o Le Monde. Um corte na rede de lojas na França já havia sido feito em 2019 com o fechamento de oito lojas e a eliminação de 250 postos de trabalho. Uma decisão inserida em um plano global de fechamentos, visando um total de 230 pontos de venda. Durante o verão de 2020, foi anunciada uma nova racionalização, com 225 encerramentos previstos para 2021. A saída do mercado europeu faria, portanto, parte deste plano.
 
O grupo com sede em São Francisco, que pediu emprestados 500 milhões de dólares para lidar com a crise, viu as vendas globais encolherem 18% no segundo trimestre, encerrado no final de agosto, com uma queda severa de 48% na atividade da rede de lojas, enquanto o seu volume de negócios no e-commerce aumentou 95%. No continente europeu, as vendas da Gap caíram quase pela metade em um ano, passando de 131 milhões de dólares, no segundo trimestre de 2019, para 70 milhões de dólares, no mesmo período em 2020.

Copyright © 2021 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.