Gap joga a carta do 'street art' em sua nova coleção (RED)

A marca americana lançou uma coleção de casacos com capuz revisitados por seis artistas mulheres para celebrar o Dia Internacional de Luta com a AIDS, neste 1º de dezembro.


A coleção unissex compreende, entre outras coisas, um motivo patchwork florido pela Olek, street artisti Polaca especializada no crochê. A Japonesa Shiro oferece um estilo mais urbano.
 
Uma versão delicada do vestuário pela Francesa Kashink e uma peça borboleta por Kelsey Montague, especialista na criação de cadernos de colorir contrastam com aquelas da Sul-africana Faith XLVII, com grande sobriedade, e aquela de Aiko de Tóquio, que se inspira na floresta.
 
"Em estreita colaboração (RED), nós selecionamos artistas com pontos de vista diversos que criam obras inspiradoras e estimulantes", explicam Wendi Goldman, vice-presidente encarregado da criação na Gap.
 
As peças assinadas por Shiro, Kashink, Kelsey Montague, Faith XLVII e Aiko são vendidas ao preço de 198 dólares. O casaco assinado por Olek custa 298 dólares. Os vestuários imaginados por Shiro e Mantagne estão disponíveis na versão infantil unissex ao preço de 128 dólares. Uma porção dos lucros desta venda será revertida ao fundo (RED) de luta contra a Aids, a tuberculose e a malária.
 
Assim como outras marcas de envergadura, que criam produtos especiais grifados (RED) para reverter 50% dos lucros do seu valor de venda à luta contra a doença no mundo, a Gap é um parceiro de longa data da organização criada por Bono e Bobby Shriver em 2006. Os financiamentos gerados pela marca chegaram a 10 milhões de dólares na última década.

Traduzido por Anderson Alexandre Da Silva

Copyright © 2019 AFP-Relaxnews. All rights reserved.

Moda - Pronto-a-vestirColeção
ASSINE A NOSSA NEWSLETTER